Mercado fechará em 3 h 48 min
  • BOVESPA

    109.435,20
    +333,21 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.332,16
    -176,19 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,11
    -1,44 (-1,68%)
     
  • OURO

    1.838,70
    -3,90 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    38.427,58
    -4.818,23 (-11,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    903,56
    +660,88 (+272,33%)
     
  • S&P500

    4.432,91
    -49,82 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.539,00
    -176,39 (-0,51%)
     
  • FTSE

    7.478,11
    -106,90 (-1,41%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.624,00
    -217,00 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1592
    +0,0291 (+0,47%)
     

Google vai banir propaganda política antes de eleição presidencial nas Filipinas

·1 min de leitura

MANILA (Reuters) - O Google, da Alphabet, informou nesta quarta-feira que vai proibir a propaganda política em sua plataforma antes das eleições presidenciais nas Filipinas em maio de 2022, quando os filipinos vão escolher o sucessor de Rodrigo Duterte.

A medida foi tomado em meio à pressão sobre as plataformas de mídia social devido ao modo com que lidaram com a publicidade política durante as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2020.

As plataformas se tornaram campos de batalha política no país do sudeste asiático, e estudos mostram os filipinos no topo do ranking global de tempo gasto em mídia social.

Anúncios eleitorais que promovam ou se oponham a qualquer partido político ou candidatura a um cargo público não serão permitidos entre 8 de fevereiro e 9 de maio de 2022, disse o Google em uma atualização de sua política de conteúdo político.

As datas cobrem o período de campanha até o dia das eleições.

O Google informou que notificações serão enviadas aos anunciantes afetados pelas regras.

A empresa já proibiu a publicidade política em sua plataforma anteriormente, incluindo nas eleições federais no Canadá em 2019 e antes do pleito em Cingapura em 2020.

Plataformas de mídia social como o Facebook ajudaram a fortalecer a base de apoio de Duterte e analistas consideram que elas foram fundamentais para sua vitória em 2016.

Os filipinos escolherão o sucessor de Duterte, que, de acordo com a Constituição, não pode concorrer a outro mandato. Ele será candidato a senador.

(Reportagem de Karen Lema, em Manila)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos