Mercado abrirá em 4 h 24 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,59
    -1,06 (-1,25%)
     
  • OURO

    1.787,20
    -6,20 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    60.274,10
    -2.139,34 (-3,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,03
    -41,12 (-2,73%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.273,57
    -4,05 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.612,92
    -425,35 (-1,63%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.581,75
    +36,75 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4602
    +0,0061 (+0,09%)
     

Google trabalha em plataforma que mistura newsletter e rede social

·3 minuto de leitura

O Google pode tornar-se mais uma Big Tech a investir na produção de boletins informativos, assim como fez recentemente o Facebook e o Twitter. A divisão voltada para o desenvolvimento de produtos inovadores da companhia, chamada Area 120, desenvolve um projeto que permite a criação de newsletters como um arquivo do Google Drive — ou seja, nos apps Documentos, Planilhas ou Apresentações.

Chamado até o momento de Museletter, o app é capaz de oferecer aos usuários a criação e publicação de boletins de notícias por intermédio de um perfil público (como numa rede social) ou com envio por lista de e-mail. A ideia é centralizar todas as ferramentas de criação de documentos do Google em um só lugar e voltada para uma finalidade com demanda crescente no momento. Se der certo, o mercado dominado por Substack, Ghost e Revue pode ganhar um concorrente importante.

O serviço permitiria divulgar newsletters gratuitamente (Imagem: Reprodução/Google)
O serviço permitiria divulgar newsletters gratuitamente (Imagem: Reprodução/Google)

Convidado a comentar sobre o assunto pelo site TechCruch, um porta-voz da Area 120 teria dito tratar-se de apenas mais um dos muitos experimentos e que ainda é cedo para falar a respeito. O site do projeto, contudo, já dá boas amostras do que se pode esperar: uma monetização do Google Drive e publicação facilitada das newsletters.

Uma página só sua

Além de criar e publicar, o Museletter teria a integração com outros apps de produtividade para gerar engajamento, inclusive com a possibilidade de inserção de planos de assinaturas pagos com acesso a slides exclusivos no app Apresentações ou tabelas para gerenciamento financeiro no Planilhas. Tudo isso partiria de um perfil aberto e acessível a partir de uma página inicial explicativa, como um minicomércio eletrônico para venda de assinaturas ou arquivos.

Fotos, Planilhas, Apresentações e Docs são alguns dos apps integrados ao boletim (Imagem: Reprodução/Google)
Fotos, Planilhas, Apresentações e Docs são alguns dos apps integrados ao boletim (Imagem: Reprodução/Google)

Uma das partes mais interessantes da proposta é a integração com listas de e-mail, que podem ser importadas de outras plataformas. Assim, você não precisaria gastar dinheiro com ferramentas de disparo para seus assinantes (e olha que não é barato), sejam eles pagantes ou não — isso seria supostamente gerenciável no sistema. Para monitorar o acesso, uma ferramenta de análise entregaria dados de aberturas de e-mail, downloads e envolvimento do público tal qual outros serviços do gênero.

Nova forma de monetização para o Google

O Museletter seria totalmente gratuito e não cobraria taxas pela venda de assinaturas. Para arrecadar dinheiro, a aposta seria a entrega de recursos premium para quem se consolidar na plataforma, como domínios personalizados, e-mails de boas-vindas e outras facilidades exclusivas. Embora ainda não haja planos concretos, o Google também poderia introduzir planos de publicidade para ajudar na entrega de conteúdo a potenciais interessados, o que ajudaria na descoberta de boletins e expansão da base de usuários.

Resta saber se a Gigante da Web terá fôlego para tocar mais essa iniciativa com a atenção devida, afinal os concorrentes são fortes e estão no mercado há mais tempo. Como se trata de um projeto, não há uma data prevista para o lançamento e nem é possível saber se ele verá a luz do sol algum dia, mas os interessados podem se cadastrar no site oficial para receber o acesso antecipado tão logo esteja disponível.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos