Mercado abrirá em 8 h 38 min
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,66
    -0,41 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.806,60
    +4,80 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    38.302,91
    +4.202,08 (+12,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    917,15
    +123,42 (+15,55%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.527,06
    -794,92 (-2,91%)
     
  • NIKKEI

    27.861,44
    +313,44 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    15.087,00
    -11,00 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1233
    +0,0017 (+0,03%)
     

Google sofre nova ação antitruste nos EUA sobre diretrizes da Play Store

·1 minuto de leitura

Mais um processo por práticas anticompetitivas contra o Google chegou à Justiça norte-americana. A ação foi apresentada em um tribunal da Califórnia na quarta-feira (7) por procuradores estaduais. As acusações são relacionadas a violações das leis antitruste na Play Store, a loja de aplicativos do sistema Android.

Para as autoridades, a cobrança de 15% ou 30% nas transações da plataforma é uma prática desleal. Em agosto de 2020, a Epic Games, criadora de Fortnite, processou o Google por aumento de preços para os consumidores, mas a ação teve menos repercussão que a disputa da empresa com a Apple.

Imagem: Reprodução/Canaltech/Ivo Meneghel Junior
Imagem: Reprodução/Canaltech/Ivo Meneghel Junior

Como o Android permite a instalação de programas fora da Play Store, o Google sofre menos pressão dos reguladores que a Apple. E foi justamente esse o argumento da companhia para se defender das acusações das autoridades americanas: a marca alega que o Android proporciona competitividade na instalação de apps.

As autoridades governamentais já acionaram a empresa por monopólio irregular em mecanismos de buscas no fim de 2020, bem como por manipular o mercado de publicidade e usar seu poder de mercado para impedir a concorrência.

Ainda na quarta-feira (7), o Google foi acusado de censura por Donald Trump, ao lado de Facebook e Twitter. O ex-presidente americano se refere às decisões das plataformas de restringir sua atuação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos