Mercado fechará em 5 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    101.439,66
    +179,91 (+0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.617,14
    -35,06 (-0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,77
    -1,08 (-2,71%)
     
  • OURO

    1.904,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.176,32
    +99,30 (+0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,76
    +0,35 (+0,13%)
     
  • S&P500

    3.434,60
    -30,79 (-0,89%)
     
  • DOW JONES

    27.950,99
    -384,58 (-1,36%)
     
  • FTSE

    5.841,34
    -18,94 (-0,32%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.647,00
    -16,50 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6505
    -0,0134 (-0,20%)
     

Google retira site de extrema-direita de sua plataforma de anúncios

·2 minutos de leitura
Google implementou uma política em 2017 para evitar anúncios ao lado de conteúdos de ódio
Google implementou uma política em 2017 para evitar anúncios ao lado de conteúdos de ódio

Google confirmou na terça-feira que retirou um site de extrema-direita de sua plataforma de anúncios e fez uma advertência a outro site por permitir comentários "perigosos e depreciativos" sobre manifestações em defesa dos direitos civis.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A empresa informou que parou de repassar anúncios com fins lucrativos para o ZeroHedge e advertiu o site The Federalist, que também pode ser bloqueado no futuro do Google Ads por violar a política sobre conteúdo.

Leia também

"Para ser claros, The Federalist não está atualmente desmonetizado", disse um porta-voz do Google ao ser questionado pela AFP.

"Temos políticas rígidas que regem o conteúdo no qual os anúncios podem ser executados, incluindo os comentários no site. Esta é uma política de longa data", completou.

A ação contra o ZeroHedge e a advertência enviada ao The Federalist envolvem os conteúdos nas áreas de comentários que violaram a política do Google sobre conteúdos perigosos e depreciativos, segundo a empresa.

O conteúdo ofensivo estava relacionado com informação falsa sobre protestos recentes do movimento Black Lives Matter, de acordo com a imprensa americana.

ZeroHedge anunciou que apresentou uma apelação contra a decisão do Google e espera "remediar" a situação.

A política em questão foi implementada pelo Google há três anos como parte de um esforço para evitar que a publicidade de seus anunciantes apareça ao lado de conteúdo de ódio nos sites.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.