Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.368,32
    +502,26 (+1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Google recebe multa recorde de US$593 milhões por violar direitos autorais na França

·3 minuto de leitura
Google recebe multa recorde de US$593 milhões por violar direitos autorais na França
Google recebe multa recorde de US$593 milhões por violar direitos autorais na França

O Google foi multado nesta terça-feira (13) em 593 milhões de dólares pelo órgão de controle da concorrência da França em razão do descumprimento de acordos que envolvem direitos autorais de notícias. O pagamento do valor recorde deverá ser destinado às agências de notícias que tiveram os conteúdos exibidos nos resultados de buscas.

De acordo com a autoridade reguladora francesa, o Google violou uma decisão de 2020 que havia determinado que a empresa negociasse acordos transparentes de licenciamento com as editoras e agências de notícias para reutilização de conteúdos protegidos pelos direitos autorais.

No entanto, a prática foi outra. Os editores informaram que o gigante da tecnologia não abriu uma negociação ‘de boa fé’, ganhando o apoio da autoridade reguladora.

“A sanção de 500 milhões de euros tem em consideração a excepcional gravidade das infracções verificadas”, disse Isabelle de Silva, presidente da agência francesa.

Leia mais:

Indenizações à vista

Agora, o Google está obrigado a elaborar propostas que compensem financeiramente os editores nos próximos dois meses. Caso não apresente um plano, a empresa deverá ser multada em cerca de US$ 1,1 milhão por dia, o equivalente a 900 mil euros.

Segundo um porta-voz do Google, a empresa está muito decepcionada, pois agiu de boa fé em todo o processo. “A multa ignora nossos esforços para chegar a um acordo e a realidade de como as notícias funcionam em nossas plataformas. Até o momento, o Google é a única empresa a anunciar acordos sobre direitos conexos”, informou.

O porta-voz disse ainda que o Google está prestes a finalizar um acordo com a AFP que inclui um acordo de licenciamento global, bem como a remuneração dos direitos de seus vizinhos por suas publicações na imprensa”.

Batalha mundial contra a política do Google

A batalha judicial enfrentada na França é apenas uma ponta do iceberg enfrentada pelo Google no mundo. Atualmente, existe um movimento global para lutar por indenizações referentes aos direitos autorais, principalmente envolvendo empresas de tecnologia e editoras de notícias.

google é condenado a pagar multa
Valor da multa é recorde já direcionado ao Google e cobra indenizações por direitos autorais de agências de notícias Imagem: PK Studio

No começo do ano, a Austrália aprovou uma lei que exige que o Google e Facebook paguem aos editores locais pelos conteúdos exibidos.

Na defesa, as empresas de mídia afirmam que a compensação é justificada pelo fato do conteúdo direcionar tráfego e receita de publicidade para o Google. No entanto, há especialistas que criticam esses posicionamentos como se fossem “extorsões” e até mesmo “esquemas de proteção”.

A França faz parte de um movimento global crescente para extrair dinheiro de empresas de tecnologia para as editoras de notícias. No início deste ano, a Austrália aprovou uma lei exigindo que o Google e o Facebook paguem aos editores locais por seu conteúdo.

Pioneira na batalha pelos direitos autorais

A França foi o primeiro país a adotar leis de direitos autorais na União Europeia contra o Google, destinando às empresas de notícias mais proteção e compensações que garantam pagamentos justos pela disseminação dos seus conteúdos online.

Via: CNBC

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos