Mercado fechará em 3 h 25 min
  • BOVESPA

    122.349,48
    +548,27 (+0,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.301,14
    +105,71 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,81
    +0,66 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.808,00
    -6,50 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    39.172,14
    -220,88 (-0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    974,43
    -1,46 (-0,15%)
     
  • S&P500

    4.419,97
    +17,31 (+0,39%)
     
  • DOW JONES

    34.986,78
    +194,11 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.152,00
    +78,50 (+0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1327
    +0,0144 (+0,24%)
     

Google quer equipe no escritório apesar de produtividade em casa

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Engenheiros de software do Google revelaram algo em uma pesquisa recente que surpreendeu os chefes: eles se sentem tão produtivos trabalhando em casa quanto antes da pandemia.

Uma pesquisa interna na unidade da Alphabet também mostrou que os funcionários desejam mais “colaboração e conexões sociais” no trabalho, de acordo com Brian Welle, vice-presidente de recursos humanos. Welle não quis fornecer números exatos, mas disse que “mais de 75%” dos empregados pesquisados responderam dessa forma. A maioria também especificamente prefere a proximidade física ao trabalhar em novos projetos.

“Há algo sobre o trabalho inovador, quando você precisa dessa faísca”, disse Welle em entrevista. “Nossos funcionários acham que esses momentos acontecem melhor quando estão juntos.”

Em parte, é por isso que, apesar do aumento da produtividade, a gigante da tecnologia mantém o plano de trazer a maioria dos funcionários de volta aos escritórios no quarto trimestre. Enquanto o Google decide quais funcionários continuarão trabalhando em tempo integral em casa e quem precisará ir ao escritório, alguns se sentem cada vez mais frustrados com a falta de uma direção clara e com a prática irregular da política da empresa. Os painéis de mensagens internos piscaram este mês quando um executivo sênior do Google anunciou que iria trabalhar da Nova Zelândia. Enquanto isso, a maioria dos funcionários de nível inferior ainda não sabe se pode mudar ou se deve retornar ao escritório.

A transição do Google de volta à vida no escritório é observada de perto. A gigante de buscas praticamente inventou o luxuoso campus do Vale do Silício, com muita comida grátis, lugares para cochilar e outras vantagens. O Google tem economizado cerca de um US$ 1 bilhão por ano em despesas graças ao trabalho remoto, mas a empresa investiu muito mais em expansões imobiliárias recentes como em San José, na Califórnia, e na cidade de Nova York. E até mesmo o Google pode ter que lidar com funcionários que não desejam abrir mão do conforto ou dos benefícios econômicos do trabalho remoto.

Trabalhadores em muitos setores decidiram deixar o emprego para não abrir mão do trabalho virtual. Embora algumas empresas de tecnologia tenham funcionado com operações 100% remotas durante a pandemia, outras que não o fizeram, como a Apple, também enfrentaram resistência das equipes para retornar ao escritório.

Uma nova indústria surgiu em torno do trabalho remoto à medida que cidades menores tentavam atrair profissionais de tecnologia com altos salários. “O Google e a Apple têm alguns dos melhores escritórios”, disse Evan Hock, cofundador do MakeMyMove.com, um diretório online para trabalho remoto. “Se estão enfrentando isso, é seguro presumir que todos os outros também estarão.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos