Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.644,56
    -3.167,14 (-5,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Google quase lançou Pixel 5 com versão prévia do Tensor

·2 min de leitura

A linha Pixel 6 foi lançada em outubro, e se destaca por ser a primeira a ter chipset próprio do Google em seu interior. Porém, o chip Tensor poderia ter feito a sua estreia na geração de 2020 dos smartphones da compannhia, de acordo com códigos descobertos pelo perfil @mile_freak07 no Twitter.

A plataforma aparece com o codinome gs101-a0, o que confirma a identidade de um processador do Google, pois o Tensor que foi lançado já era conhecido internamente por meio do código gs101-b0. Portanto, trata-se de alguma versão anterior desconhecida, que nunca chegou a ser produzida em massa pela companhia.

Por meio de investigações complementares, também foi descoberto que o gs101-a0 está relacionado com um dispositivo de codinome Whitefin. Não há uma confirmação de que ele é o Pixel 5, mas como as outras especificações internas são iguais às do smartphone apresentado pelo Google em 2020, é bastante provável que essa era a nomenclatura de uma variante com o processador Tensor em suas fases de desenvolvimento.

Os códigos não revelam muitos detalhes técnicos sobre a plataforma, mas se sabe que a frequência máxima de operação era de 2,3 GHz nos seus melhores núcleos — para efeito de comparação, o Tensor presente na linha Pixel 6 tem dois cores ARM Cortex-X1 a 2,8 GHz, dois Cortex-A76 a 2,25 GHz e quatro Cortex-A55 a 1,8 GHz para eficiência energética.

Não são conhecidos os motivos que fizeram o Google lançar o Pixel 5 com o Snapdragon 765 da Qualcomm em vez de uma versão anterior do Tensor. É provável que o chip simplesmente não tenha ficado dentro dos níveis de exigência da companhia a tempo da apresentação do aparelho, mas não se descarta a possibilidade de a Gigante das Buscas ter feito esse protótipo Whitefin somente para testar alguns recursos da plataforma, sem ter a intenção de disponibilizá-la ao público naquele momento.

Com isso, porém, abre-se espaço para rumores da chegada de um Pixel 6a com chip Tensor intermediário, o que ajudaria o Google a entregar muitos dos diferenciais em câmeras vistos nos modelos mais caros por um preço mais agressivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos