Mercado fechará em 2 h 4 min
  • BOVESPA

    117.109,25
    +879,13 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.736,55
    -310,03 (-0,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,76
    +1,24 (+1,43%)
     
  • OURO

    1.722,00
    -8,50 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    20.192,27
    +192,52 (+0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    457,64
    -0,76 (-0,17%)
     
  • S&P500

    3.777,98
    -12,95 (-0,34%)
     
  • DOW JONES

    30.248,12
    -68,20 (-0,22%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.593,50
    -47,25 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1365
    -0,0314 (-0,61%)
     

Google pode ter desistido de 'balões com internet' por causa da poluição

Discussão do Google foi levantada depois que a SpaceX anunciou o plano de levar internet a celulares através dos satélites Starlink
Discussão do Google foi levantada depois que a SpaceX anunciou o plano de levar internet a celulares através dos satélites Starlink (Getty Image)
  • Google investigou a possibilidade de ampliar o sinal de internet através de balões

  • Empresa disse que encerrou o programa alegando elevados custos operacionais

  • Discussão voltou para debate após anúncio da SpaceX sobre os satélites Starlink

Para tentar levar internet para lugares remotos, o Google decidiu investigar a possibilidade de ampliar o sinal através de balões. No entanto, em 2021, a empresa encerrou o programa alegando elevados custos operacionais.

Contudo, existe uma suspeita de que outro problema teria atrapalhado os planos da gigante da tecnologia: essa modalidade poderia ser muito poluente.

A hipótese surgiu de discussão levantada depois que a SpaceX anunciou o plano de levar internet a celulares através dos satélites Starlink.

Jonathan O'Callaghan, jornalista especializado em pautas aeroespaciais, questionou no Twitter se não existe uma maneira de impedir que os satélites da empresa de Elon Musk dificultem atividades de radioastronomia.

Isso porque os aparelhos poderia causar um fenômeno da poluição luminosa no céu. Essa mudança dificultaria a observação espacial a partir da Terra.

Outra preocupação levantada pelo especialista é a quantidade de lixo espacial que seria criada, uma vez que a vida útil desses aparelhos não é longa.

"Fato perturbador: nós descobrimos isso [o risco de danos ecológicos] no Google e essa é uma das razões pelas quais interrompemos o programa [Loon]. Todos aqueles que deixaram o programa para começar a Starlink sabiam de tudo isso", revelou Rick Altherr, engenheiro de software que já trabalhou na Google.

Em um outro tweet, Altherr justificou que o fim do projeto Loon foi uma consequência de várias fatores, não de apenas um. "A falta de um modelo de negócio viável foi outro", ressaltou.