Mercado abrirá em 8 h 53 min
  • BOVESPA

    110.188,57
    +787,16 (+0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,20
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.786,10
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.053,95
    +3,91 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,49
    +0,69 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.521,39
    -46,15 (-0,61%)
     
  • HANG SENG

    19.451,98
    +10,80 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.756,94
    -128,93 (-0,46%)
     
  • NASDAQ

    11.588,75
    +22,75 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4779
    -0,0008 (-0,01%)
     

Google pagará R$ 442 milhões por rastrear ilegalmente usuários do Android

Google pagará R$ 442 milhões por rastrear ilegalmente usuários do Android
Google pagará R$ 442 milhões por rastrear ilegalmente usuários do Android
  • O processo foi movido pelo estado do Arizona, nos EUA;

  • A ação ilegal do Google teria o objetivo de aumentar a receita de anúncios;

  • Em 2021, a receita de anúncios representou 81% dos ganhos da empresa.

A empresa controladora do Google, Alphabet Inc., pagará cerca de R$ 442 milhões para encerrar um processo de privacidade do consumidor movido pelo estado do Arizona, nos EUA.

Aberto em maio de 2020 , o processo alegou que o mecanismo de busca violou a Lei de Fraude ao Consumidor do estado e enganou os usuários da Internet sobre o uso de dados de localização e práticas de coleta de dados.

Na ação, o Google foi acusado de continuar rastreando a localização de pessoas sem consentimento para aumentar a receita de anúncios, mesmo depois que os usuários desativaram o histórico de localização nas configurações.

O escritório do procurador-geral do Arizona, Mark Brnovich, começou a investigar as práticas de coleta de dados de localização do Google após uma reportagem da Associated Press de 2018 que revelou como a empresa de mecanismos de busca rastreia os movimentos dos usuários.

“Quando fui eleito procurador-geral, prometi aos moradores do Arizona que lutaria por eles e responsabilizaria todos, incluindo empresas como o Google”, disse Brnovich em um comunicado à imprensa. “Estou orgulhoso deste acordo histórico que prova que nenhuma entidade, nem mesmo grandes empresas de tecnologia, está acima da lei.”

Em sua defesa, o Google alegou que o processo do Arizona foi baseado em políticas desatualizadas que não estão mais em uso.

“Fornecemos controles diretos e opções de exclusão automática para dados de localização e estamos sempre trabalhando para minimizar os dados que coletamos”, disse o porta-voz do Google, Jose Castañeda, em comunicado. “Estamos satisfeitos por ter esse assunto resolvido e continuaremos concentrando nossa atenção no fornecimento de produtos úteis para nossos usuários.”

Em 2021, a receita de anúncios representou 81% dos ganhos de US$ 257,6 bilhões do Google. Muito disso é gerado pela coleta de dados do usuário.