Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,00
    -1,67 (-2,66%)
     
  • OURO

    1.785,00
    +6,60 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    55.469,36
    -358,95 (-0,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.273,73
    +39,32 (+3,18%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.870,05
    +10,18 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.746,50
    -47,75 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6727
    -0,0298 (-0,44%)
     

Google não supervisionará dinheiro dado às empresas de notícias

Rui Maciel
·4 minuto de leitura

Após ter fechado acordos de licenciamento com mais de 600 veículos de notícias ao redor do mundo e gastado US$ 1 bilhão com esses publishers, o Google já avisou: “Não cabe a nós dizer a um editor de notícias como administrar seus negócios”. Ou, em outras palavras, a gigante das buscas não supervisionará o uso desse dinheiro por parte das empresas de comunicação.

O projeto, que leva o nome de News Showcase, está em andamento, com o Google negociando com outras editoras, inclusive nos EUA. O programa, que durará até 2023, é o maior esforço da companhia para investir em uma indústria que culpa os gigantes da tecnologia por desviar sua receita de publicidade. Combinados, Facebook e Google controlam mais da metade do mercado de publicidade digital.

“A intenção do nosso pagamento é ajudar e facilitar para que os editores participarem do programa”, disse Brad Bender, vice-presidente do Google que supervisiona o News Showcase, à agência de notícias Reuters. “Mas, em última análise, [o projeto] está a serviço para criar um futuro mais sustentável para as notícias.”

Paineis do Google News Showcase: empresa pagou US$ 1 bi em acordos de licenciamento com 600 veículos de notícias ao redor do mundo
Paineis do Google News Showcase: empresa pagou US$ 1 bi em acordos de licenciamento com 600 veículos de notícias ao redor do mundo

Mas, a hesitação do Google em responsabilizar os editores pela geração de resultados de negócios a partir dos fundos pagos, deixa dúvidas sobre se a indústria de mídia vai finalmente se tornar lucrativa. Isso após várias tentativas de empresas de tecnologia de fornecer suporte e melhorar sua perspectiva de ganhos.

Melhoras

De qualquer forma, o próprio Google afirmou nesta quarta-feira (31) que já está vendo um "grande aumento" de usuários solicitando mais conteúdo de publicações específicas como parte do News Showcase. Bender expressou otimismo sobre o News Showcase, que pode conduzir as editoras em direção a um futuro mais brilhante. O executivo afirmou que a empresa apoiaria o programa além do US$ 1 bilhão inicial. “Estamos comprometidos em fazer parte da solução”, disse ele.

Nos últimos seis meses, o News Showcase foi anunciado no Reino Unido, Austrália, Argentina, Brasil e Alemanha, com mais de 90% dos publishers considerados jornais locais, regionais ou comunitários. Também nesta quarta-feira, no blog oficial da iniciativa, foi anunciada a entrada dos veículos de mídia da Itália.

Contrapartida

Bender afirmou que o único requisito do Google para os candidatos ao financiamento é que eles forneçam uma determinada quantidade de conteúdos diariamente. O financiamento ajuda a equipe de jornalistas a organizar o conteúdo, conhecido como painéis, que são apresentados nos aplicativos News e Discover do Google. Os usuários podem “seguir” os publishers para obter mais painéis deles. Veículos como The Financial Times (Inglaterra) e The Canberra Times (Austrália) estão gerando 7.000 painéis por dia e os usuários seguiram esse formato de conteúdo mais de 200 mil vezes.

O Google afirmou ainda que a opção de selecionar mais conteúdo de alguns editores já existia na ferramenta de notícias do Google antes. No entanto, os painéis do News Showcase nos países onde o programa está disponível agora representam uma porcentagem de dois dígitos de todos os seguidores. Com o tempo, o Google espera que os publishers possam transformar seguidores em assinantes pagos ou obter um faturamento maior com publicidade a partir do aumento da audiência.

A Reuters relatou ainda que o valor pago individualmente a cada veículo na França via News Showscase varia de US$ 1,3 milhão para o jornal Le Monde a US $ 13.741 para a editora local La Voix de la Haute Marne. No entanto, o Google se recusou a comentar os termos comerciais no país europeu ou em qualquer outro lugar.

Bender reconheceu que o Google, ao projetar o novo programa, não consultou sindicatos e outras organizações que representam jornalistas. Muitas entidades representativas do setor nos Estados Unidos criticaram fundos de private equity por comprar empresas de mídia, reduzindo custos e enfraquecendo o conteúdo.

No entanto, o Google afirmou também que garantir que os fundos do News Showcase aumentem o número de jornalistas de redações e não as carteiras dos proprietários é uma conversa que os profissionais do setor deveriam ter com os publishers.

O Google disse que não tem planos de gerar receita com o News Showcase, assim como outros recursos relacionados a notícias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: