Mercado abrirá em 3 h 21 min

Google Maps otimiza navegação para bikes compartilhadas no Rio e em SP

Ramon de Souza

De acordo com o Google, a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV2) também está mudando a forma predileta de transporte dos cidadãos ao redor do mundo — o uso da bicicleta está se tornando cada vez maior, seja como uma forma de percorrer distâncias curtas gastando pouco ou como uma maneira de combater o sedentarismo.

Para justificar esse fato, a Gigante das Buscas afirma que a procura por rotas otimizadas para bicicletas no Google Maps cresceu 69% desde o mês de fevereiro, atingindo um pico histórico ao longo de junho. Contudo, nem todo mundo tem uma magrela em casa, e é por isso que as plataformas de compartilhamento de bikes também estão se popularizando.

Pensando nisso, o Google Maps acaba de anunciar novos recursos projetados especialmente para esse público em específico. Em sua mais recente atualização, o app passa a incluir, em sua navegação curva-a-curva para bicicletas, a indicação de estações de compartilhamento de bikes mais próximas da rota programada, explicando como se deslocar até lá à pé e indicando onde deixar a magrela após o uso.

Divulgação/Google

Por enquanto, a nova funcionalidade estará disponível apenas em dez cidades, graças a uma série de parcerias com plataformas de bike sharing: Chicago (Divvy/Lyft), Nova York (Citi Bike/Lyft), São Francisco (Bay Wheels/Lyft) e Washington DC (Capital Bikeshare/Lyft), nos EUA; Londres (Santander Cycles/TfL), na Inglaterra; Cidade do México (Ecobici), no México; Montreal (BIXI/Lyft), no Canadá; Taipé e Nova Taipé (YouBike), em Taiwan; e finalmente Rio de Janeiro e São Paulo (Bike Itaú), no Brasil.

O Google observa ainda que, em algumas dessas localidades, a integração com a plataforma parceira é tão grande que os usuários poderão desbloquear e/ou agendar o uso de sua bicicleta diretamente através do Maps, sem a necessidade de alternar para outro software no momento de retirar sua magrela para uso.

Incentivando o ciclismo

Vale a pena lembrar que não é de hoje que a Gigante das Buscas se concentra em tornar a vida dos ciclistas mais fácil. Rotas para bicicletas existem no Maps desde 2010, e a companhia se orgulha em dizer que ela mantém uma comunicação saudável com entidades governamentais ao redor do mundo para sempre oferecer informações atualizadas sobre os melhores caminhos a se percorrer no pedal, levando em consideração variáveis como tráfego de veículos motorizados, elevações, solo irregular etc.

Ademais, o Maps já oferecia — somente em território estrangeiro — integração com a plataforma Lime, exibindo estações de compartilhamento com a indicação em tempo real de quantas magrelas estavam disponíveis em cada doca. A Lime entrou no Brasil em julho de 2019, mas, infelizmente, decidiu fechar suas operações no país já em janeiro deste ano.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: