Mercado abrirá em 5 h 11 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,66
    +0,20 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.763,60
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    61.680,34
    -1.403,59 (-2,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.370,36
    -10,59 (-0,77%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.017,80
    +34,30 (+0,49%)
     
  • HANG SENG

    29.011,73
    +218,59 (+0,76%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    13.976,75
    -37,25 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7152
    -0,0059 (-0,09%)
     

Google Maps deixará você corrigir estradas manualmente com "desenhos" nos mapas

Igor Almenara
·2 minuto de leitura

Embora o Google Maps seja uma ferramenta alimentada por imagens de satélite, as informações que ele contém nem sempre são as mais atualizadas. Para contornar essa deficiência e poupar o trabalho da equipe interna, a companhia passa a se apoiar em alterações fornecidas pela comunidade com o recurso chamado “drawing” (desenhar, em tradução livre), que dá “o poder da edição” aos usuários para ligeiras correções.

A adição vai além da simples marcação do início de uma estrada ou local ainda não catalogado. No “drawing”, o usuário pode traçar uma linha sobre uma rota e dar a ela um novo nome, excluí-la ou corrigir a sua orientação para o cálculo de trajetórias.

Logicamente, o Google não deixa as alterações correrem solta pela plataforma; sempre que a ferramenta for utilizada, a correção desenhada não passa de uma sugestão. Ela será enviada para análise — processo que pode durar até 7 dias —, para só depois ser inserida no mapa.

O Google se mantém atento aos perigos que a colaboração da comunidade pode causar. Ao fornecer a sugestão, a companhia alerta que não espera que trilhas para bicicletas sejam marcadas como estradas, já que o tráfego é restrito aos veículos menores, e avisa de antemão que estradas sugeridas com a intenção de ferir indivíduos não serão aceitas — mas não comentou sobre penalidades aos usuários responsáveis pela correção mal-intencionada.

Quanto mais, melhor

Outra adição importante é a possibilidade de associar fotos aos ambientes visitados. Atualmente, a ferramenta já existe, mas implica na criação de uma avaliação sobre o local, algo que pode não ser a intenção do usuário que pouco experienciou o serviço ou só estava de passagem.

(Imagem: Google/Divulgação)
(Imagem: Google/Divulgação)

Nesse caso, a novidade está contida na aba “Updates”, dentro da visualização de algum estabelecimento. De lá, o usuário pode conferir as fotos compartilhadas por outras pessoas, assim como fornecer os próprios registros do lugar. As fotografias podem ser acompanhadas por uma breve descrição ou publicação online e não há limite para a quantidade de arquivos.

A adição de fotos no Google Maps é uma novidade atualizada por servidor, portanto sua distribuição é feita gradativamente entre os usuários do mundo todo. Enquanto isso, o “drawing” tem lançamento previsto para “os próximos meses” e chegará à 80 países. Em contato com o Google, o Canaltech questionou se a ferramenta alcançará os usuários brasileiros e atualizará a matéria assim que houver uma resposta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: