• BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.169,98
    +1.076,36 (+2,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Google libera primeira versão para desenvolvedores do Android 12

Felipe Junqueira
·3 minuto de leitura

O Google oficializou o Android 12 com a primeira beta para desenvolvedores nesta quinta-feira (18). A companhia também divulgou um cronograma das versões de testes, com previsão de lançamento até agosto, e a final possivelmente em setembro.

De acordo com a linha do tempo publicada pela empresa, a próxima grande atualização do sistema operacional tem mais duas versões beta para desenvolvedores, a serem liberadas em março e abril, quatro betas públicas, uma por mês entre maio e agosto, e uma estável, prevista para agosto. Logo depois, o Android 12 final deve ser liberado para os celulares Pixel.

Cada pequeno update tem objetivos claros, começando por receber comentários dos desenvolvedores sobre novos recursos e APIS, além de mudanças de comportamento do sistema na Prévia para Desenvolvedores 1 (DP1, na sigla em inglês), seguindo com a adição de recursos e APIs na segunda e finalizando, em abril, com uma versão mais estável na terceira prévia.

A partir de maio, é a vez dos usuários “comuns” testarem o Android 12, possivelmente já com aparência e funções que devem seguir até a versão final, cuja data de lançamento não foi divulgada, mas deve chegar ao público ainda em agosto. Esta última versão prévia permite que desenvolvedores testem o comportamento de seus aplicativos e os otimizem para que todos os recursos funcionem corretamente no modelo final do sistema.

Cronograma de lançamentos das versões do Android 12 (Imagem: Divulgação/Google)
Cronograma de lançamentos das versões do Android 12 (Imagem: Divulgação/Google)

A DP1 do Android 12 está disponível para celulares do Google a partir do Pixel 3. O suporte às atualizações no Pixel 2 foi encerrado em dezembro.

Android 12: o que há de novo

Por se tratar de uma beta inicial, ainda não dá para ver muitas novidades. A interface em si muda pouco, pois o foco é testar o comportamento de alguns novos recursos e APIs.

Mas já foi possível confirmar alguns vazamentos anteriores, como as notificações, com nova aparência e mais funcionalidades que devem torná-las mais rápidas e fáceis de usar. Para isso, o Google também tornou as animações e transições de tela mais suaves e bloqueou os chamados “trampolins de notificações”.

No Android 12, quando o usuário tocar em um card de notificação, vai ser levado direto para a tela do app em questão. Por exemplo, ao tocar em uma notificação de mensagem do WhatsApp, você vai direto para a conversa, em vez de ver todo o carregamento do app e acesso da tela de conversa. Isso deve evitar principalmente que celulares menos potentes travem nesse processo.

Comparação de imagens AV1 e JPEG em tamanhos de arquivos próximos (Imagem: Reprodução/Jake Archibald/Google)
Comparação de imagens AV1 e JPEG em tamanhos de arquivos próximos (Imagem: Reprodução/Jake Archibald/Google)

Em relação a mídias, a próxima versão do sistema operacional móvel traz suporte ao formato de imagem AV1, que segundo o Google consegue mais qualidade em arquivos menores (veja a imagem acima). Em áudio, o Android 12 traz suporte ao MPEG-H, com mixers, resamplers e efeitos otimizados para até 24 canais. Uma nova API que facilita a inserção de arquivos de mídia na área de transferência, no teclado ou pelo arrastar e soltar.

Para tentar reduzir a fragmentação, o Google também pretende facilitar a atualização de drivers de alguns componentes pela Play Store, via módulo Android Runtime.

Mais novidades devem ser liberadas nas próximas prévias para desenvolvedores e não será surpresa se algumas funções ficarem apenas para as betas públicas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: