Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.070,12
    -359,58 (-1,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Google levará novos recursos para versões mais antigas do Android

O Google deve trazer novos recursos para celulares que não recebem atualizações do Android há muito tempo. O Extension Software Developer Kit é uma ferramenta para desenvolvedores usarem ferramentas da versão mais recente do sistema no Android 12, 11 ou mais antigos. O objetivo é dar suporte a funcionalidades recentes, que não dependem de hardware, para aparelhos mais antigos.

Em uma publicação oficial no blog do Android, os desenvolvedores explicaram a parte técnica da ferramenta. O exemplo citado é a extensão do seletor de fotos exclusivo do Android 13 para as versões antigas, o que permitiria aos apps modernos oferecer o layout renovado sem que o usuário precise ter o celular em atualizado.

De modo resumido, funciona da seguinte maneira: uma API presente nos aplicativos vai identificar quais recursos tecnológicos o celular tem instalado. Se ele tiver o seletor de fotos no aparelho, poderá rodá-lo naquele programa ou jogo, mesmo se estiver no Android 11. Funcionalidades de câmera ou físicas, relacionadas ao aparelho celular em si, também devem ser monitorados para definir se o app pode executá-lo.

O Google já trabalha há alguns anos em técnicas para atualizar componentes do Android pela Play Store, sem exigir um download completo da atualização. Esse novo sistema dá muito mais liberdade para a empresa corrigir algo rapidamente ou adicionar pequenas melhorias ao SO.

Atualização será para implementar Privacy Sandbox

Os planos para o Extension SDK devem ser muito mais ambiciosos que a galeria de fotos. Segundo o porta-voz do Google, Scott Westover, a tecnologia possibilitará a inclusão do Privacy Sandbox — o substituto dos cookies de terceiros — em outras versões do Android.

Se a novidade ficasse refém da versão atual do sistema do Google, a empresa não conseguiria implementá-lo com sucesso para a ampla base de celulares rodando o Android. Isso contraria o propósito de dar ampla usabilidade para a ferramenta, tirando lucro de anúncios mais precisos, com taxa de conversão aprimorada e "menos invasivo" que o modelo atual.

Com o kit de desenvolvimento, a Privacy Sandbox poderia ser constantemente atualizada sem precisar de uma renovação inteira do sistema. O Google ainda não tem uma data definida para começar os testes com esse formato, já que foram feitos sucessivos adiamentos — o último deles ficou para 2024 — devido a polêmicas e críticas.

Ainda que a medida tenha viés mais comercial, não há como negar o lado bom. Muita gente consegue viver perfeitamente com um celular por cinco ou até seis anos, mas elas ficavam presas no Android defasado quando o suporte oficial acaba. Agora, poderia desfrutar de coisas mais recentes, ainda que sejam apenas algumas partes do sistema operacional.

Você ainda não poderá usar um dispositivo Bluetooth 3.0 se o seu aparelho só tiver suporte para a versão 1.0, porque isso envolve a parte física. Mas a parte de software ainda poderá ser mantida durante alguns anos, dando maior vida útil para seu aparelho e uma base maior de usuários para os fabricantes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: