Mercado fechará em 1 h 49 min
  • BOVESPA

    123.781,98
    +1.981,19 (+1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.058,63
    +190,31 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,13
    -2,82 (-3,81%)
     
  • OURO

    1.819,70
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    39.737,06
    -1.329,21 (-3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    971,04
    +10,15 (+1,06%)
     
  • S&P500

    4.398,71
    +3,45 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    34.940,46
    +4,99 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    14.987,50
    +31,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1089
    -0,0791 (-1,28%)
     

Google leva o YouTube Shorts para o mundo e acirra competição com TikTok

·1 minuto de leitura

O YouTube Shorts, aposta do Google para rivalizar com o TikTok, agora está disponível a nível global. O serviço começou em fase de testes na Índia, no ano passado, e depois se expandiu para outros 26 países, incluindo o Brasil e os Estados Unidos. Com o anúncio, a previsão é disponibilizar o serviço em mais de 100 países onde o YouTube já está presente.

A principal vantagem do Shorts é o fato de ser integrado ao ecossistema do YouTube, o que garante uma potencial base de usuários composta por milhões de pessoas. Apesar disso, por se tratar de um formato novo para esse público, é necessário mensurar como será a aceitação. No começo do mês, a plataforma anunciou ter alcançado a marca de 6,5 bilhões de visualizações diárias.

O YouTube Shorts agora chega para o mundo inteiro (Imagem: Divulgação/YouTube)
O YouTube Shorts agora chega para o mundo inteiro (Imagem: Divulgação/YouTube)

Alcançar a popularidade do TikTok é uma missão árdua, mas não impossível. Recentemente, até por estar em fase beta, o Shorts tem adicionado recursos para possibilitar novas formas de produzir conteúdo. Um dos trunfos em análise pode ser a habilidade de importar trechos de áudio ou vídeos do YouTube, por exemplo, o que daria vantagem quase ilimitada para a produção.

Do outro lado, o rival também tenta se ajustar à realidade do mercado. Na semana passada, o TikTok permitiu a ampliação do tempo máximo dos vídeos para até três minutos. Ontem, anunciou a chegada do app para a Fire TV, em um claro esforço para estar presente também nos televisores, tal qual o YouTube.

A novidade chegou ao Brasil há algumas semanas, com disponibilização gradual para o público local. Você já experimentou o Shorts? Achou melhor que as outras redes similares? Compartilhe sua opinião nos comentários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos