Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.639,46
    +2.045,36 (+3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

De Google a Lenovo: as mudanças desde o primeiro Moto G até o Moto G100

Felipe Junqueira
·13 minuto de leitura

A Motorola lançou o primeiro Moto G em 2013 e, desde então, já são 10 gerações do intermediário que nasceu com a ideia de trazer características antes disponíveis apenas em topos de linha, cobrando preço baixo.

Do primeiro Moto G para o Moto G100 — que, apesar do número alto, é apenas um dos modelos da décima geração da linha — muita coisa mudou. Os intermediários passaram a dominar os catálogos da maior parte das fabricantes, cada vez mais potentes e com mais recursos, incluindo inovadores. No caso dos modelos da Motorola, tem até um quase topo de linha agora.

E a marca Motorola ainda passou de mãos, já que pertencia ao Google durante todo o desenvolvimento até o lançamento das duas primeiras gerações, e passou a pertencer à Lenovo antes de a terceira geração ser revelada ao público. O Canaltech relembra todos os Moto G já lançados, desde o primeiro, que sequer possuía suporte ao 4G, até o mais recente, com 5G de fábrica e processador poderoso.

Moto G 1ª geração

MOto G de 1ª geração foi o primeiro intermediário com processador de quatro núcleos (Imagem: Divulgação/Motorola)
MOto G de 1ª geração foi o primeiro intermediário com processador de quatro núcleos (Imagem: Divulgação/Motorola)

O Moto G original foi lançado no Brasil e na Europa em novembro de 2013 e é considerado um divisor de águas da indústria de telefonia móvel, pois criou o segmento intermediário. Foi o primeiro celular acessível a chegar ás lojas com processador de quatro núcleos e 1 GB de memória RAM.

O primeiro Moto G ainda contava com tela de 4,5 polegadas e opções de 8 GB ou 16 GB de armazenamento. O processador era o Snapdragon 400, e o celular chegou às lojas com o Android 4.3 e foi atualizado até o Android 5.0.2. Ainda tinha bateria de 2.070 mAh e câmera traseira de 5 MP e frontal de 1,3 MP, com gravação de vídeo em 720p.

Em 2014, foi lançada uma versão 4G com TV digital e suporte a cartão micro SD para expansão da memória interna, mas apenas na opção de 8 GB de armazenamento. De resto, todas as especificações eram as mesmas, tirando o Android 4.4.2 de fábrica, que foi atualizado até o 5.1.

Moto G 2ª geração

Segunda geração tinha diferentes capinhas disponíveis (Imagem: Divulgação/Motorola)
Segunda geração tinha diferentes capinhas disponíveis (Imagem: Divulgação/Motorola)

A segunda geração tem poucas mudanças, e o Moto G 2014, como foi chamado na época do lançamento, se destaca pela presença inédita do som estéreo em modelos da categoria intermediária. Além disso, o Moto G2 teve aumento no tamanho da tela, para 5 polegadas.

Outra mudança foi nas câmeras, que saltaram para 8 MP na traseira e 2 MP na frontal. O aparelho saiu com o Android 4.4.4 de fábrica e foi atualizado até o Android 6.0 Marshmallow.

Uma versão com suporte à TV digital e 16 GB de armazenamento foi lançada junto com o modelo base, que tinha apenas 8 GB de espaço. Ambos ofereciam suporte a cartão micro SD para expandir a memória com mais 32 GB.

Em 2015, saiu a versão 4G do Moto G de segunda geração, com bateria maior, de 2.390 mAh, em vez dos 2.070 mAh que foram mantidos do modelo original na segunda geração.

Moto G 3ª geração

A terceira geração ainda teve poucas mudanças em design (Imagem: Divulgação/Motorola)
A terceira geração ainda teve poucas mudanças em design (Imagem: Divulgação/Motorola)

Assim como na segunda geração, o Moto G de 3ª geração também foi inicialmente batizado com o ano de seu lançamento, sendo conhecido como Moto G 2015. As principais novidades são a existência de proteção contra água, TurboPower e a opção com 2 GB de memória RAM. Foi o primeiro modelo lançado já sob a marca Lenovo.

O Moto G3, como ficou conhecido posteriormente para facilitar, manteve a tela de 5 polegadas da geração anterior e trouxe o processador Snapdragon 410, com arquitetura dos núcleos atualizada. A câmera salta para 13 MP na principal e 5 MP frontal.

O dispositivo ainda tinha opções de 1 GB de memória RAM e 8 GB ou 16 GB de armazenamento interno e outra com 2/16 GB, e já saiu compatível com 4G logo de cara. A bateria aumentou para 2.470 mAh e a terceira geração também tinha uma versão com TV digital já no lançamento.

Alguns meses depois, a Motorola lançou o Moto G Turbo, que entra na terceira geração e já traz processador Snapdragon 615, com 2/16 GB como única opção de memória. Assim como o Moto G3 original, o Turbo saiu com Android 5.0 e foi atualizado até o 6.0.1.

Moto G4

Moto G4 deu início aos nomes com a identificação geracional (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G4 deu início aos nomes com a identificação geracional (Imagem: Divulgação/Motorola)

Em 2016, a Motorola passou a numerar seu Moto G de acordo com a geração e também começou a oferecer mais de uma versão, cada uma com um “sobrenome” para identificar onde o dispositivo se encaixa dentro da família. O Moto G4 inaugurou o leitor de impressão digital (no Plus), foco a laser e câmera com foco PDAF, características antes só vistas em modelos topo de linha. Foram três variantes:

  • Moto G4 Play: o mais barato do trio foi uma espécie de repetição da geração anterior, com tela de 5 polegadas, Snapdragon 410 e 2/16 GB de memória e bateria de 2.800 mAh.

  • Moto G4: o modelo base tinha tela maior, com 5,5 polegadas e resolução Full HD (pela primeira vez na linha), processador Snapdragon 617, mesma capacidade de memória do Play e bateria de 3.000 mAh.

  • Moto G4 Plus: além do leitor de impressão digital, tinha como diferencial o suporte ao TurboPower, câmera de maior resolução, com 16 MP, e 32 GB de armazenamento interno.

Moto G5

Moto G5S Plus deu início à era das câmeras duplas (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G5S Plus deu início à era das câmeras duplas (Imagem: Divulgação/Motorola)

A quinta geração teve como novidades o foco rápido, acabamento metálico e sistema de câmera dupla. Outra inovação foi o fato de as novidades só aparecerem de fato em uma “meia geração”, com o lançamento dos Moto G5S e G5S Plus, cerca de seis meses depois dos Moto G5 “originais”.

No total, foram quatro modelos na quinta geração, com diferenças e semelhanças entre cada um. Todos com resolução Full HD e as seguintes especificações:

  • Moto G5: tela de 5 polegadas, processador Snapdragon 430, 2 GB de RAM, 32 GB de armazenamento e bateria removível de 2.800 mAh. Completa o conjunto a câmera traseira de 13 MP e frontal de 5 MP.

  • Moto G5 Plus: tela de 5,2 polegadas processador Snapdragon 625, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, bateria de 3.000 mAh e câmera traseira de 12 MP com sensor avançado da Sony e frontal de 5 MP.

  • Moto G5S: tela de 5,2 polegadas, Snapdragon 430, 2/32 GB, bateria para 3.000 mAh e câmera principal 16 MP e frontal de 5 MP.

  • Moto G5S Plus: tela de 5,5 polegadas, Snapdragon 625, 3/32 GB, bateria de 3.000 mAh, câmera principal de 13 MP, secundária para dados de profundidade e frontal de 8 MP.

Moto G6

Moto G6 Plus trouxe acabamento premium à linha (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G6 Plus trouxe acabamento premium à linha (Imagem: Divulgação/Motorola)

A Motorola voltou a apresentar três modelos logo de cara ao anunciar a sexta geração da linha Moto G, com o retorno da versão Play, que passou a ter como público-alvo o usuário que quer ficar mais tempo longe da tomada. As novidades no geral ficaram para a nova tela Max Vision, que nada mais é que o display com proporção diferente do padrão 16:9, e acabamento em vidro 3D na traseira.

  • Moto G6 Play: tela de 5,7 polegadas com resolução HD, processador Snapdragon 430 (herdado da geração anterior), 3/32 GB, bateria de 4.000 mAh, câmera principal de 13 MP e frontal de 8 MP. Opção mais acessível e com muita bateria para consumir mídias.

  • Moto G6: tela de 5,7 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 450, 3/32 GB, bateria de 3.000 mAh, conjunto de câmera principal duplo com 12 MP + 5 MP e frontal de 8 MP. Opção um pouco mais potente e ainda a preço acessível.

  • Moto G6 Plus: tela de 5,9 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 630, 4/64 GB, bateria de 3.200 mAh, câmera traseira dupla de 12 MP + 5 MP e frontal de 8 MP. Opção mais avançada, com hardware mais potente e um pouco mais de tela e bateria.

Moto G7

O Moto G7 Plus (Imagem: Divulgação/Motorola)
O Moto G7 Plus (Imagem: Divulgação/Motorola)

Na sétima geração, as inovações ficaram com a presença do notch na tela Max Vision, zoom de alta resolução e estabilização óptica de imagem na câmera principal, além do carregamento de 27 W. E mais uma vez aumentou a quantidade de modelos, para quatro, com a introdução do Moto G7 Power.

  • Moto G7 Play: tela de 5,7 polegadas com resolução HD, processador Snapdragon 632, 2/32 GB, bateria de 3.000 mAh, câmera principal de 13 MP e frontal de 8 MP. Opção compacta a preço mais baixo, com acabamento plástico.

  • Moto G7 Power: tela de 6,2 polegadas com resolução HD, processador Snapdragon 632, 3/32 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera principal de 12 MP e frontal de 8 MP. Opção com bateria gigantesca e ainda preço mais baixo, com acabamento plástico.

  • Moto G7: tela de 6,24 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 632, 4/64 GB, bateria de 3.000 mAh e conjunto de câmera principal duplo de 12 MP + 5 MP e frontal de 8 MP. Opção com acabamento mais premium, com traseira em vidro, e especificações um pouco mais modestas.

  • Moto G7 Plus: tela de 6,24 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 636, 4/64 GB, bateria de 3.000 mAh com suporte à recarga de 27 W e conjunto de câmera principal duplo de 16 MP + 5 MP e frontal de 12 MP. Opção com acabamento mais premium, com traseira em vidro, e especificações mais avançadas.

Moto G8

Moto G8 Plys e Play inauguraram a oitava geração (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G8 Plys e Play inauguraram a oitava geração (Imagem: Divulgação/Motorola)

A oitava geração inaugurou a tecnologia de câmera Quad Pixel, utilizada atualmente em quase todos os celulares Motorola e sistema de som melhorado (com áudio estéreo em dois modelos). Além disso, a empresa pretendia se inspirar nas fabricantes chinesas e reduzir a distância entre gerações, inclusive lançando modelos “a conta-gotas”.

  • Moto G8 Play: primeiro a chegar às lojas, com tela de 6,2 polegadas com resolução HD, processador MediaTek Helio P70M, 2/32 GB, bateria de 4.000 mAh, câmera traseira tripla de 13 MP + 8 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Modelo mais simples, com faixa de preço bem abaixo do restante da linha.

  • Moto G8 Plus: lançado no mesmo dia do G8 Play com tela de 6,3 polegadas com reoslução Full HD, processador Snapdragon 665, 4/64 GB, bateria de 4.000 mAh e conjunto de câmera triplo de 48 MP + 16 MP + 5 MP, sendo uma delas “de ação”, apenas para vídeos, e frontal de 25 MP. Modelo mais avançado, com tudo que poderia ter de melhor em um intermediário, incluindo som estéreo.

  • Moto G8: lançado cerca de seis meses depois, com tela de 6,4 polegadas com resolução HD e furo no canto superior esquerdo para a câmera frontal, processador Snapdragon 665, 4/64 GB, bateria de 4.000 mAh e conjunto de câmera triplo de 16 MP + 8 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Modelo um pouco mais acessível, mas ainda poderoso.

  • Moto G8 Power: lançado ao mesmo tempo que o G8, com tela de 6,4 polegadas com resolução Full HD e furo no canto superior esquerdo para a câmera frontal, processador Snapdragon 665, 4/64 GB, bateria de 5.000 mAh e conjunto de câmera quádruplo com 16 MP + 8 MP + 8 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Opção com mais bateria e conjunto bem completo, com som estéreo.

  • Moto G8 Power Lite: o quinto modelo saiu no final de abril de 2020, com tela de 6,5 polegadas e resolução HD com noth em gota, processador MediaTek Helio P35, 4/64 GB, bateria de 5.000 mAh, conjunto de câmera triplo de 16 MP + 2 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Modelo com muita bateria e conjunto mais modesto, a preço mais baixo.

Moto G9

O primeiro Moto G com 5G, batizado simplesmente Moto G 5G Plus (Imagem: Divulgação/Motorola)
O primeiro Moto G com 5G, batizado simplesmente Moto G 5G Plus (Imagem: Divulgação/Motorola)

Ainda no final de 2020, a Motorola começou a apresentar, de novo a “conta-gotas”, a nona geração da linha Moto G. As novidades destacadas foram o conjunto quádruplo de câmeras, tela maior, conectividade 5G, até 6.000 mAh de bateria e a chegada da série Snapdragon 700.

Foram vários lançamentos, cuja lista por ordem cronológica é a seguinte:

  • Moto G9 Play: tela de 6,5 polegadas com resolução HD e único da geração com notch em gota, processador Snapdragon 662, 4/64 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera tripla de 48 MP + 2 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Opção mais acessível da geração.

  • Moto G9 Plus: lançado junto com o G9 Play, com tela de 6,8 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 730G, 4/128 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera quádrupla de 64 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP e frontal de 16 MP. Modelo mais avançado da geração entre as opções 4G.

  • Moto G 5G Plus: primeiro Moto G com suporte à quinta geração da banda larga móvel, com tela de 6,7 polegadas com resolução Full HD e taxa de atualização de 90 Hz, processador Snapdragon 765, 8/128 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera quádrupla de 48 MP + 8 MP + 5 MP + 2 MP e frontal dupla de 16 MP + 8 MP. Primeiro intermediário com 5G a chegar ao Brasil.

  • Moto G9 Power: tela de 6,78 polegadas e resolução HD, processador Snapdragon 662, 4/128 GB, bateria de 6.000 mAh, câmera tripla de 64 MP + 2 MP + + 2 MP e frontal de 16 MP. Opção com bateria gigantesca e hardware um pouco mais modesto.

  • Moto G 5G: tela de 6,7 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 750G, 6/128 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera tripla de 48 MP + 8 MP + 2 MP e frontal de 16 MP. Opção 5G mais acessível.

Moto G 10ª geração

Moto G100, o primeiro Moto G top de linha (Imagem: Divulgação/Motorola)
Moto G100, o primeiro Moto G top de linha (Imagem: Divulgação/Motorola)

Apesar de a linha Moto G ter sido lançada inicialmente em 2013, ou seja, completa oito anos agora em 2021, a Motorola já chegou à décima geração, visto que teve alguns saltos em menos de um ano. Nela, foi lançado o primeiro aparelho da linha com processador Snapdragon Série 800 e o modo desktop, batizado pela fabricante de Ready For.

No Brasil foram apresentados, por enquanto, três modelos, com as características a seguir:

  • Moto G10: tela de 6,5 polegadas com resolução HD, processador Snapdragon 460, 4/128 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera quádrupla de 48 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP e frontal de 8 MP. Opção mais acessível da geração.

  • Moto G30: tela de 6,5 polegadas com resolução HD e taxa de atualização de 90 Hz, processador Snapdragon 662, 6/128 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera quádrupla de 64 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP e frontal de 13 MP. Opção um pouco mais parruda, com recursos mais avançados em tela e câmera.

  • Moto G100: o modelo topo de linha da Moto G. Tela de 6,7 polegadas com resolução Full HD e taxa de atualização de 90 Hz, processador Snapdragon 870, 12/256 GB, bateria de 5.000 mAh, câmera tripla de 64 MP + 16 MP + 2 MP e frontal dupla de 16 MP + 8 MP. Suporte a 5G, modo desktop, todos os recursos disponíveis nos melhores celulares atuais.

O que podemos esperar para as próximas gerações da linha Moto G? Deixe suas apostas no campo de comentários abaixo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: