Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.292,58
    -112,78 (-0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Google lança ferramenta dedicada às Eleições 2022

O Google lançou nesta sexta-feira (26) a chamada Central Google Trends —Eleições 2022, uma página dedicada revelar tendências de busca sobre o processo eleitoral brasileiro. O site terá informações úteis e dados em tempo real sobre pequisas do usuário, inclusive sobre os candidatos à Presidência da República.

O objetivo é ajudar as campanhas a entender o pensamento dos eleitores, saber por quais temas se interessam mais e em quais regiões determinado assunto pode ser mais popular. Os insights poderão ser baixados para uma análise mais aprofundada pelos profissionais de marketing e estrategistas políticos.

Os dados mostram o volume de buscas e não tem relação com intenções de voto nem popularidade de candidatos (Imagem: Reprodução/Google)
Os dados mostram o volume de buscas e não tem relação com intenções de voto nem popularidade de candidatos (Imagem: Reprodução/Google)

O Google Trends exibe um painel comparativo com o índice de consultas por cada postulante nos últimos sete dias. É possível clicar no ícone correspondente de cada um para acessar uma página dedicada do candidato com informações específicas:

  1. variação de interesse ao longo do tempo;

  2. nível de interesse dividido por estados brasileiros;

  3. principais perguntas que as pessoas fazem sobre os candidatos;

  4. principais termos relacionados.

Tudo isso é mensurado conforme as palavras que as pessoas digitam junto ao nome do candidato. Essas informações estão relacionadas à busca do Google, portanto não indicam intenções de voto nem pode ser usadas como ferramenta de pesquisa eleitoral.

Há também dados sobre os partidos políticos e os termos em crescimento. Tudo é dividido conforme o estado, assim dá para ter uma ideia de qual região um candidato é mais forte.

Temas eleitorais em alta no buscador do Google

Segundo o serviço, a página terá informações sobre o que os brasileiros estão perguntando sobre as pesquisas eleitorais, campanhas e propostas. Haverá também dúvidas sobre comuns sobre como votar, uso do título de eleitor digital (no celular), locais de votação, como votar na urna eletrônica e temas relacionados ao processo.

“Todos os dias, milhões de pessoas usam a pesquisa do Google para buscar informações de qualidade sobre o processo político. Esse conjunto de informações permite apontar tendências e mostrar o comportamento do brasileiro que usa o Google para se informar durante o período eleitoral, abrindo uma nova dimensão de compreensão dessas eleições”, destaca o coordenador do Google News Lab no Brasil, Marco Túlio Pires.

A central registra os termos que mais cresceram na busca recentemente (Imagem: Reprodução/Google)
A central registra os termos que mais cresceram na busca recentemente (Imagem: Reprodução/Google)

Em evento realizado em junho de 2022, o Google já havia dado alguns detalhes sobre a central do Trends para este ano. Na ocasião, a empresa disse que entregaria um relatório com cerca de 50 páginas, impresso e em versão digitalizada, para os partidos brasileiros. A ideia era subsidiar o trabalho dos estrategistas políticos, assim eles poderiam focar os esforços de publicidade para os temas com maior volume de buscas.

Pires explicou que a funcionalidade atua como um ótimo termômetro para descobrir temas relevantes e assuntos em alta. Questionado sobre uma possível manipulação da busca orgânica por candidatos para favorecer temas de seus interesses, o executivo do Google disse não conhecer técnica capaz de fazer isso. "Ninguém consegue subir uma hashtag com robôs para o Trends porque os mecanismos de segurança do Google barram as atividades suspeitas e bloqueiam o IP de quem tenta manipular", concluiu o executivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: