Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,08
    -0,27 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.797,40
    +4,30 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    53.968,62
    -1.746,06 (-3,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.247,18
    -15,78 (-1,25%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.732,86
    +110,94 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    28.985,35
    +476,80 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.899,50
    -19,75 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7065
    +0,0045 (+0,07%)
     

Google faz acordos de licenciamento com mais de 600 empresas de notícias no mundo

Paresh Dave
·1 minuto de leitura

Por Paresh Dave

(Reuters) - O Google fechou acordos de licenciamento de conteúdo com mais de 600 empresas de notícias do mundo e está vendo um "grande aumento" de usuários solicitando mais conteúdo de publicações específicas como parte do novo programa da empresa programa News Showcase, afirmou a companhia nesta quarta-feira.

O Google continua negociando com outras empresas para investir cerca de 1 bilhão de dólares no programa.

O programa até 2023 é o maior esforço do Google para investir em uma indústria que culpa os gigantes da tecnologia por se apropriarem de sua receita de publicidade. Combinados, Facebook e Google controlam mais da metade do mercado de propaganda digital.

"A intenção do nosso pagamento é ajudar a tornar mais fácil para os editores participarem do programa", disse à Reuters o vice-presidente do Google que supervisiona o News Showcase, Brad Bender. "Não cabe a nós dizer a um publisher de notícias como administrar seus negócios", disse o Google.

Publishers de uma dúzia de países concordaram em licenciar conteúdo. Os usuários podem ver o conteúdo que faz parte do acordo na Austrália, Argentina, Brasil, Alemanha e Reino Unido, com a adesão da Itália ocorrendo nesta quarta-feira.