Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    49.938,54
    +1.434,58 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Google e News Corp fecham acordo para o pagamento por notícias

ANA ESTELA DE SOUSA PINTO
·2 minuto de leitura

BRUXELAS, BÉLGICA (FOLHAPRESS) - A News Corp, empresa que edita, entre outros, os jornais The Wall Street Journal e New York Post, nos EUA, e The Times e The Sunday Times, no Reino Unido, anunciou nesta quarta-feira (17) um acordo pelo qual será remunerada pelo Google pelo conteúdo jornalístico produzido por seus veículos. Segundo o comunicado da News Corp, conglomerado de origem australiana e de propriedade da família Murdoch, o acordo com o gigante de tecnologia americano vale por três anos -o valor envolvido não foi informado. Publicações da News Corp se juntarão ao Google News Showcase, produto de notícias do Google que, segundo a empresa americana, já firmou compromisso com mais de 500 publicações em todo o mundo. Nesta segunda (15), Josh Frydenberg, secretário do Tesouro da Austrália, havia afirmado que acordos com a mídia australiana para remunerá-la por seu conteúdo estavam "muito próximos". O governo australiano elabora um código de conduta vinculativo, que exige que as big techs negociem com cada veículo de imprensa uma remuneração pelo uso de seu conteúdo - na ausência de acordo, o caso será decido por um juiz. News Corp disse que o novo acordo "inclui o desenvolvimento de uma plataforma de assinatura, o compartilhamento da receita de anúncios por meio dos serviços de tecnologia de anúncios do Google, o cultivo do jornalismo de áudio e investimentos significativos em jornalismo de vídeo inovador pelo YouTube". Google e Facebook também enfrentam cobranças por pagamento de conteúdo jornalístico na Europa e, recentemente, anunciaram acordos com empresas jornalísticas na França, na Alemanha e no Reino Unido. Facebook é multado na Itália Também nesta quarta o Facebook for multado pela Autoridade de Concorrência e Mercado da Itália em EUR 7 milhões (R$ 45,5 mi), por não cumprir uma ordem de 2018 para alterar suas práticas de tratamento de dados. A empresa havia sido multada em 2018, em EUR 10 milhões (R$ 75 mi), por enganar os usuários locais sobre como seus dados seriam coletados e compartilhados com serviços de terceiros. Após recurso, o valor foi reduzido pela metade. A nova decisão afirma que o Facebook deixou de corrigir todas as práticas que haviam sido consideradas enganosas em 2018. A empresa afirmou que já fez alterações para atender às exigências do regulador italiano e que aguarda decisão sobre recursos. No final de janeiro, a Itália bloqueou no país o TikTok por falhar em impedir que crianças se inscrever no aplicativo. A proibição ocorreu após a morte de uma menina por asfixia, enquanto fazia um vídeo para o app.