Mercado abrirá em 5 h 57 min

Google é multado em R$ 440 milhões por rastrear localização sem permissão

Google foi acusado de rastrear dados de localização dos usuários (Getty Image)
Google foi acusado de rastrear dados de localização dos usuários (Getty Image)
  • Google foi condenado a pagar uma multa milionária em um processo dos EUA;

  • Empresa teria coletado informações de usuários sem a devida autorização;

  • O material era repassado para a indústria da publicidade, de acordo com processo.

Após ser acusado de rastrear dados de localização dos usuários mesmo quando eles solicitavam sigilo, o Google vai pagar US$ 85 milhões (cerca de R$ 440 milhões) para encerrar um processo no estado do Arizona, nos Estados Unidos.

A disputa corre na justiça desde 2020, quando foi identificado que a empresa coletava informações de pessoas sem a devida autorização. Esses dados eram repassados para a indústria da publicidade, de acordo com o processo. Com esse material, é possível criar e distribuir anúncios de maneira direcionada e segmentada para cada usuário dos serviços do Google.

Após o juiz do caso negar a defesa da companhia, foi estipulado que ela pagasse uma multa milionária em um acordo para encerrar o embate. O gabinete do procurador-geral Mark Brnovich afirma que a medida representa o maior valor por usuário individual que o Google já pagou.

"Estou orgulhoso deste acordo histórico que prova que nenhuma entidade, nem mesmo grandes empresas de tecnologia, está acima da lei", afirmou o procurador-geral, em comunicado.

Pronunciamento da empresa

José Castañeda, porta-voz do Google, falou para a Bloomberg que o processo foi baseado em antigas políticas de produtos que a companhia já alterou.

"Fornecemos controles diretos e opções de exclusão automática para dados de localização e estamos sempre trabalhando para minimizar os dados que coletamos. Estamos satisfeitos por ter esse assunto resolvido e continuaremos concentrando nossa atenção no fornecimento de produtos úteis para nossos usuários", defendeu.