Mercado fechará em 29 mins
  • BOVESPA

    123.313,07
    +1.512,28 (+1,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.002,92
    +134,60 (+0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,31
    -2,64 (-3,57%)
     
  • OURO

    1.818,10
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    39.552,11
    -1.666,53 (-4,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    967,91
    +7,01 (+0,73%)
     
  • S&P500

    4.392,79
    -2,47 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    34.889,86
    -45,61 (-0,13%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    14.973,00
    +17,25 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1289
    -0,0591 (-0,96%)
     

Google e Amazon entram na mira do Reino Unido por avaliações falsas em suas plataformas

·2 minuto de leitura
Google e Amazon entram na mira do Reino Unido por avaliações falsas em suas plataformas
Google e Amazon entram na mira do Reino Unido por avaliações falsas em suas plataformas

Nesta sexta-feira (25), a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) do Reino Unido iniciou uma nova investigação formal contra as gigantes Amazon e Google. O motivo? O órgão questiona se as big techs têm se esforçado para remover críticas e avaliações falsas de produtos em suas respectivas plataformas de comércio online.

“Estamos investigando preocupações de que a Amazon e o Google não têm feito o suficiente para evitar ou remover comentários falsos para proteger clientes e empresas honestas”, afirmou Andrea Coscelli, presidente-executiva da CMA, em um comunicado.

Vale lembrar que, de acordo com as leis do Reino Unido, as empresas também são responsáveis pela adoção de medidas efetivas para que seus consumidores não sejam enganados. A falta das práticas, inclusive, pode caracterizar a manutenção de um comércio injusto.

O órgão britânico afirmou ainda que vai analisar se Amazon e Google penalizam revisores e firmas para diminuírem os comentários negativos em suas plataformas. Os sistemas da e-commerce de Jeff Bezos também serão investigados para saber se estão falhando em impedir que vendedores manipulem listas de produtos.

Por ora, não foi constatado se ambas as empresas infringiram alguma lei. Mas caso as investigações apontem que houve violação da regra de proteção do consumidor, as big techs poderão sofrer medidas coercitivas, incluindo processos judiciais nos tribunais.

Google Shopping aberto em notebook
Órgão britânico vai investigar se Google e Amazon infringiram lei do consumidor do Reino Unido. Foto: Casimiro PT/Shutterstock

Leia mais:

Problema de longa data

A investigação sobre medidas contra falsas avaliações complementa as apurações iniciadas no ano passado. Na ocasião, Facebook e eBay conseguiram remover diversas contas e grupos que negociavam comentários negativos.

Em abril deste o ano, o Facebook reforçou seus sistemas de identificação para evitar ocorrências como essas. Em maio, a gigante Amazon também convocou empresas de mídias sociais para um trabalho conjunto em prol da eliminação das críticas desonestas.

Fato é que a abertura de uma nova investigação contra Google e Amazon configuram uma postura mais rígida do Reino Unido — e da Europa — contras as gigantes digitais. Há apenas três dias, por exemplo, a União Europeia iniciou uma investigação antitruste contra o Google, com suspeitas de que a gigante estaria favorecendo seus próprios serviços de “tecnologia de publicidade”.

E o cerco deve continuar nos próximos anos. Isso porque o CMA do Reino Unido foi incumbido de criar a Unidade de Mercados Digitais para fiscalizar a competição de mercado online da região e deverá reforçar sua vigilância contras as gigantes de economia digital.

Fonte: CNBC

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos