Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.752,35
    -2.050,86 (-4,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Google deve pagar US$ 15 bilhões para manter seu serviço de buscas padrão no iOS

·2 minuto de leitura

O Google deve aumentar a quantia paga para a Apple, em favor de manter seu mecanismo de buscas como o padrão de celulares e dispositivos da empresa de Cupertino ao longo do próximo ano. Segundo os relatos, a Gigante das Buscas deve desembolsar uma quantia de US$ 15 bilhões — cerca de R$ 78 bilhões em conversão — para manter o acordo já existente.

Atualmente, não é nenhum segredo que as duas companhias possuem um contrato para que o serviço de buscas do Google seja mantido como pré-definido em iPhones, MacBooks, iPads e outros dispositivos da Maçã. No entanto, esse valor irá subir consideravelmente, caso essas especulações estejam corretas.

A informação foi levantada e compartilhada pela empresa de análises e pesquisas Bernstein. Segundo os detalhes, o Google teve que pagar US$ 10 bilhões em 2020 e este valor subirá para os US$ 15 bilhões em 2021 e, no próximo ano, deve crescer ainda mais e atingir um valor entre 18 e 20 bilhões de dólares.

De acordo com o analista Toni Sacconaghi, o Google estaria disposto a pagar esta quantia para evitar que a Microsoft cubra a oferta a fim de fazer do Bing o mecanismo de pesquisas padrão dos aparelhos da Apple.

Apple quer mostrar que não lucra apenas com a venda de hardware

(Imagem: Reprodução/All Things How)
(Imagem: Reprodução/All Things How)

De acordo com o 9to5Google, a empresa de Tim Cook quer provar para investidores que é capaz de lucrar não só com a venda de produtos, como celulares e notebooks, por exemplo, mas também com a oferta de serviços e a taxa paga pelo Google entra nesse jogo.

No entanto, esse aumento na quantia cobrada pela Maçã ainda pode causar dois riscos para as companhias. O primeiro é que o Google sofra alguma ação de regulamentação e perca legalmente os direitos obtidos. Este cenário, porém, está há alguns anos de distância e é menos provável, de acordo com Sacconaghi.

Já a segunda hipótese é que o Google desista de pagar esse valor exorbitante e tente diminuir a quantia ou simplesmente cancele o acordo. Neste caso, a Apple ficaria em uma posição complicada — ou voltaria atrás e diminuiria a taxa para o Google ou fecharia acordo com a Microsoft e correria riscos de perder uma fatia no mercado, com uma possível reação negativa dos clientes que não desejam ter o Bing como buscador padrão.

De qualquer forma, vamos esperar pelos próximos movimentos para saber o que Apple e Google farão, algo que só deve ser revelado nos resultados fiscais referentes a 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos