Mercado fechará em 4 h 23 min
  • BOVESPA

    108.780,61
    -196,09 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,51
    -1,77 (-2,32%)
     
  • OURO

    1.749,90
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    16.232,44
    -319,36 (-1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,85
    +0,56 (+0,15%)
     
  • S&P500

    4.009,24
    -16,88 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.265,85
    -81,18 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.453,65
    -33,02 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.696,25
    -86,50 (-0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6066
    -0,0178 (-0,32%)
     

Google deve limitar o rastreamento em apps do Android para fins de publicidade

O Google deve liberar um recurso para impedir o rastreamento de usuários por aplicativos no Android 13 a partir de 2023. A Privacy Sandbox deve chegar em estágio beta, mas já bloqueando as tentativas de monitoramento da atividade das pessoas para fins publicitários.

A "Caixa de Areia" de Privacidade do Google deve isolar programas e jogos executados no celular. O objetivo é evitar o repasse das informações coletadas, como localização, sites acessados, hábitos online e microfone para empresas de anúncios ou serviços de terceiros.

O recurso está em desenvolvimento desde fevereiro deste ano e teve como incentivo inicial o fim dos cookies de rastreamento. Os primeiros testes começaram em abril, trazendo em primeira mão as APIs Topics, FLEDGE e Attribution Reporting. Embora o foco inicial tenha sido o Google Chrome, a empresa decidiu expandir o sistema para o Android.

Esses são alguns dos recursos da Privacy Sandbox nos navegadores, mas ela será expandida para o Android inteiro (Imagem: Reprodução/Google)
Esses são alguns dos recursos da Privacy Sandbox nos navegadores, mas ela será expandida para o Android inteiro (Imagem: Reprodução/Google)

APIs de segurança

A Sandbox será distribuída para alguns dispositivos antes da liberação ampla. No momento, o Google começou a liberar as APIs de integração para desenvolvedores interessados em implementar o sistema. Ainda não está claro como a integração será feita, especialmente para empresas que lidam com publicidade online.

As três APIs mencionadas devem substituir o atual modelo de IDs de publicidade, que identificam usuários de modo individual e irrestrito. Esse é um dos elementos básicos dos dispositivos Android, usados praticamente desde o início do sistema operacional, mas considerado invasivo demais.

Hoje, a maioria dos apps de Android usam métodos de rastreamento ocultos do usuário. Não se sabe ao certo quais dados são monitorados nem onde tais informações vão parar — muitas delas são repassadas para guiar anúncios digitais. Com a nova metodologia, haverá um formato mais claro de gerenciamento de dados, tanto para o usuário quanto para os devs.

Impacto nas empresas que vivem de publicidade

A iniciativa parece ser inspirada no App Tracking Transparency (ATT), implementada no ano passado no iOS, que passou a exigir dos desenvolvedores mais cautela no uso dos dados. Apps e games devem enviar um pedido de autorização de rastreamento para o usuário antes de coletar dados da navegação.

Embora isso tenha sido positivo na garantia da privacidade das pessoas, houve severos impactos nas empresas que dependem dos anúncios. A Meta (dona do Facebook e Instagram), por exemplo, teve imensos prejuízos: queda de 26% na receita da empresa de Mark Zuckerberg, valor que representa cerca de US$ 250 bilhões.

O novo modelo promete ser menos impactante que a solução da Apple, inclusive porque o próprio Google depende da verba publicitária do Ads, mas pode mudar muita coisa nos celulares. É preciso aguardar por mais novidades para uma análise aprofundada de como o mercado será impactado.

A DuckDuckGo lançou hoje uma ferramenta que impede o repasse das informações coletadas para terceiros. O sistema não impacta no funcionamento dos aplicativos, mas monitora, identifica e barra qualquer tentativa de remover dados pessoais dos celulares.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: