Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,46
    -0,69 (-0,96%)
     
  • OURO

    1.819,80
    -41,60 (-2,23%)
     
  • BTC-USD

    38.281,14
    -2.010,75 (-4,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,66 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.905,00
    -76,25 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0607
    -0,0013 (-0,02%)
     

Google concorda em mudar política de anúncios depois de ser multado pela França

·2 minuto de leitura
Google concorda em mudar política de anúncios depois de ser multado pela França
Google concorda em mudar política de anúncios depois de ser multado pela França

Em um acordo histórico na França, o Google concordou em fazer mudanças em sua política de anúncios, cedendo à pressão antitruste no país europeu. O acordo com o órgão fiscalizador francês poderá reequilibrar o poder sobre a publicidade em favor das páginas de conteúdo, como meios de imprensa, que dominavam os negócios antes da rápida ascensão do Google e do Facebook nesse meio.

Além de se comprometer a realizar as mudanças em suas políticas de anúncios, o Google terá que pagar uma multa de 202 milhões de Euros (em nossa moeda, seria algo em torno de R$ 1,3 bilhão). É a primeira vez que a empresa americana concorda em fazer alterações em seu poderoso negócio de publicidade, responsável pela maior parte de suas receitas. A decisão na França pode ser significativa para uma nova postura do Google com relação às leis antitruste em outros lugares do mundo, como na Alemanha, onde a empresa também passa por investigações quanto às suas práticas.

Privilégios de Google para Google

Investigações da Autoridade de Concorrência Francesa (FCA) apontaram que a plataforma Google de gerenciamento de anúncios para grandes publicadores (o Google Ad Manager) favoreceu o sistema de anúncios online da própria empresa (o Google Adx). O Google Adx é onde os editores vendem espaço aos anunciantes em tempo real.

Segundo o que foi constatado, o Google Ad Manager forneceu ao Google Adx dados estratégicos, como os preços dos lances vencedores nos leilões, e acesso privilegiado às solicitações feitas pelos anunciantes. Ao mesmo tempo, o Google Adx forneceu ao Google Ad Manager recursos de interoperabilidade superiores aos das chamadas plataformas sell-side (SSP) rivais. Essas ferramentas do Google se tornaram quase essenciais para grandes empresas gerenciarem os espaços de publicidade disponíveis para compra, inserirem anúncios e receberem receitas.

Sob os termos do acordo, o Google se comprometeu a melhorar a interoperabilidade dos serviços do Google Ad Manager com servidores de anúncios de terceiros e plataformas de vendas de espaço publicitário. A empresa afirmou que fará testes e desenvolverá mudanças nesse sentido nos próximos meses antes de implementá-las de forma mais ampla, incluindo globalmente. Algumas mudanças serão implementadas até o primeiro trimestre de 2022. O Google também informou que não irá recorrer das decisões da autoridade no tribunal.

A FCA disse que a decisão abre caminho para que editores que se sentem em desvantagem busquem indenização do Google. A autoridade francesa lançou sua investigação em 2019, após reclamações da News Corp. (NWSA.O), do grupo de publicação de notícias francês Le Figaro e do grupo de imprensa belga Rossel.

Via Business Insider e Reuters

Imagem: succo/Pixabay/CC