Mercado fechará em 1 h 56 min
  • BOVESPA

    109.752,68
    -387,96 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.102,04
    +227,13 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,76
    -1,12 (-1,48%)
     
  • OURO

    1.882,30
    -48,50 (-2,51%)
     
  • BTC-USD

    23.550,46
    -258,47 (-1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    538,55
    +1,70 (+0,32%)
     
  • S&P500

    4.164,94
    -14,82 (-0,35%)
     
  • DOW JONES

    34.074,05
    +20,11 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.818,25
    -28,50 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0690 (+1,26%)
     

Google Chrome vai bloquear downloads de sites inseguros automaticamente

O Google Chrome deve ganhar um recurso que vai bloquear automaticamente o download de arquivos a partir de sites inseguros. Trata-se de mais um esforço da companhia em prol da adoção generalizada do protocolo HTTPS para conexões online, com o usuário sendo avisado sobre os riscos de baixar dados a partir de conexões que não utilizam o mecanismo que traz maior segurança e criptografa o contato entre usuários e servidores.

O recurso ainda estaria em fase preliminar, aparecendo apenas em códigos inativos do navegador. A funcionalidade deve ser testada ao longo de 2023 e pode aparecer na próxima versão completa do browser, que deve ser liberada no ano que vem e ainda não tem data para chegar. O Google não se pronunciou sobre o assunto.

Por outro lado, não é como se a companhia não viesse trabalhando em elementos semelhantes. Em uma atualização recente, por exemplo, o Chrome ganhou um recurso que força o acesso a versões de sites em HTTPS, mesmo que a versão menos segura seja o padrão; nestes casos, um alerta é exibido ao usuário. O mesmo também vale para downloads, mas apenas na forma de uma notificação sobre o possível risco.

Ao mesmo tempo em que se trata de uma medida de segurança, as atualizações do Google também incentivam os administradores a adotarem o protocolo seguro. Afinal de contas, ninguém quer ver um alerta de segurança exibido no site, principalmente quando lida com dados e vendas; ao mesmo tempo, a empresa também tem guias de melhores práticas e dicas para auxiliar quem ainda deseja fazer essa transição.

Uma vez liberado, o recurso de bloqueio de downloads inseguros deve aparecer em meio às flags do Google Chrome, podendo ser manipulado por usuários avançados. Depois, deve passar a fazer parte da opção referente ao uso, somente, de conexões seguras, a partir das configurações do browser. Caso seja necessário acessar um site com o protocolo HTTP, claro, isso será possível, com a opção também podendo ser desativada por usuários que estiverem cientes dos riscos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: