Mercado abrirá em 5 h 42 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,72
    +0,06 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.781,60
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    32.714,21
    -254,84 (-0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    784,43
    -65,92 (-7,75%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.081,87
    +19,58 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    28.425,66
    -63,34 (-0,22%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.117,25
    -12,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9719
    -0,0034 (-0,06%)
     

Google Chrome pretende acelerar o carregamento no Windows, Linux e macOS

·1 minuto de leitura
Google Chrome pretende acelerar o carregamento no Windows, Linux e macOS
Google Chrome pretende acelerar o carregamento no Windows, Linux e macOS

Em novembro de 2020, o Google lançou o Chrome 86 para Android e possibilitou o “back-forward cache”, que é um serviço para manter a cache das paginas web fechadas pelo usuário. Portanto, quando a pessoa clica no botão “próximo” ou “anterior”, as páginas são abertas e carregadas de forma instantânea na internet.

Na versão para os desktop, quando a pessoa fecha alguma página na web, a sua cache é eliminada logo de imediato. O que significa, que se quiser abrir novamente, terá de carregar todo o seu conteúdo. O intuito disto é reduzir o consumo de memória, porém, deixa o navegador mais lento.

De acordo com as informações do Google, a integração da função “back-forward cache” no Chrome para o Windows, macOS e Linux facilitará a vida de muita gente. Há anos que essa atualização está em desenvolvimento e agora, já está disponível na versão Canary, que é dedicada para desktop.

“O back-forward cache é um recurso do navegador que melhora a experiência do utilizador, mantendo uma página activa depois de o utilizador se afastar da mesma, e a reutiliza para tornar a navegação no histórico da sessão mais suave (como botões de navegação para trás e avançar) e tornar a navegação instantânea. As páginas de cache estão congeladas e não executam mais qualquer javascript”, explicou o Google

Por outro lado, esta opção ainda não está ativa. Segundo o Windows Latest, o Google irá implementar esta novidade para todos no Chrome 92, a partir do dia 20 de Julho de 2021.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos