Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,76
    -0,39 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.667,00
    -3,00 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    19.588,75
    +523,56 (+2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.554,50
    -1,25 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2283
    +0,0684 (+1,33%)
     

Google atrasa retorno obrigatório ao escritório para 2022

·1 min de leitura
O aumento dos casos de COVID-19 em uma série de países foi fator essencial na tomada de decisão. (Getty Images) (Getty Images)
  • Google confirma que funcionários não voltarão ao escritório em 2021

  • Apple, Amazon e Facebook tomaram a mesma decisão

  • Aumento dos casos de COVID-19 preocupa as empresas

Após a sensação de que a pandemia estava passada, uma série de empresas começou a adiar o retorno ao escritório. O Google é mais uma companhia a entrar na lista (que já conta com Amazon, Apple e Facebook, por exemplo) a colocar à volta em pausa. O aumento dos casos de COVID-19 em uma série de países foi fator essencial na tomada de decisão.

Até 10 de janeiro de 2022, os funcionários poderiam optar ou não por retornar ao escritório. Porém, na última semana, o CEO da companhia, Sundar Pichai, enviou um memorando para os funcionários informando da nova decisão e que uma nova data será informada com trinta dias de antecedência.

“Depois de 10 de janeiro, nós veremos como os países que abrigam escritórios do Google estão e decidiremos pelo fim do home office voluntário. Para cada país, nós podemos tomar uma decisão diferente”, escreveu Sundar Pichai.

A ideia inicial do Google era retornar ao escritório no dia 18 de outubro. A gigante da internet tinha pedido para que os funcionários que se preparassem para um modelo híbrido de trabalho. Com 60% dos funcionários retornando aos mesmos escritórios. Em agosto, o Google havia aprovado 85% dos pedidos para as pessoas trabalhem de forma remota ou em outro escritório.

“A estrada à frente pode ser um pouco mais longa e acidentada do que esperávamos, mas continuo otimista de que vamos superar isso juntos”, finalizou Pichai.