Mercado fechado

Google apagará dados de visitas a clínicas de aborto

Google anunciou que excluirá os dados do histórico de localização de visitas a clínicas de aborto. Foto: Getty Imaes.
Google anunciou que excluirá os dados do histórico de localização de visitas a clínicas de aborto. Foto: Getty Imaes.
  • A Alphabet, dona do Google, anunciou na última sexta-feira (1°) que apagará os dados de localização dos usuários que visitarem clínicas de aborto;

  • A Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou no final de junho a jurisprudência que permitia o aborto no país;

  • Segundo o Google, a partir das próximas semanas, registros dos locais serão apagados após a visita.

A Alphabet, conglomerado por trás do Google, divulgou na última sexta-feira (1°) que excluirá os dados de localização dos usuários que visitarem clínicas de aborto.

O anúncio surge com a preocupação de que a “trilha digital” de localização do smartphone possa informar ou dar pistas às autoridades sobre indivíduos que procuram interromper a gravidez.

Leia também:

Com a decisão da Suprema Cortes dos Estados Unidos de que abortos não são mais garantidos pela Constituição, a indústria de tecnologia temeu que a polícia conseguisse obter mandatos para caçar o histórico de busca dos clientes, assim como geolocalização e outras informações.

A companhia afirmou na sexta-feira que continuará a se opor a demandas impróprias ou muito amplas do governo quanto aos dados.

Segundo o Google, a partir das próximas semanas, os registros de locais como centros de fertilidade, clínicas de aborto e instalações de tratamento de vícios serão deletados após a visita.

Contudo, um porta-voz da companhia não informou como essas visitas seriam identificadas, ou se quaisquer dados do tipo seriam apagados.

Com a postura, o Google é a primeira big tech a afirmar publicamente como agirá com os dados do usuários em relação à decisão do tribunal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos