Mercado fechado

Google anuncia as startups escolhidas para programa de aceleração de Jornalismo

Rui Maciel
·4 minuto de leitura

O Google anunciou nesta quinta-feira (29), a partir da Google News Initiative 10 startups jornalísticas selecionadas para a primeira turma do GNI Startup Lab. A iniciativa oferece uma imersão para empreendedores comprometidos com o desenvolvimento de produtos inovadores, que promovam o Jornalismo de qualidade.

Durante o programa, as startups selecionadas receberão até US$ 20.000 (valor bruto) em financiamento e terão acesso a mentoria, treinamento e workshops sobre assuntos como estratégia, produto, modelos de negócio, vendas e marketing, construção de comunidade e levantamento de fundos.

No final do programa, cada startup terá a oportunidade de apresentar seu pitch para potenciais investidores em um Demo Day. Elas também terão acesso exclusivo a especialistas do Google que podem ajudá-las a criar estratégias digitais de sucesso.

Google News Initiative: startups devem primar pela diversidade e informação de qualidade (Foto: Divulgação / Google)
Google News Initiative: startups devem primar pela diversidade e informação de qualidade (Foto: Divulgação / Google)

Confira abaixo as startups selecionadas:

Agência BORI

Iniciativa criada para conectar os estudos inéditos de pesquisadores brasileiros a jornalistas de todos os tipos de veículos de comunicação do país, ampliando o acesso da sociedade ao conhecimento produzido pelas instituições de ensino e pesquisa nacionais

Agência Tatu de Jornalismo de Dados

Startup alagoana que utiliza de ferramentas e princípios do Jornalismo de Dados com o foco em produção de conteúdo e produtos inovadores para a realidade local e regional.

Alma Preta

Agência de jornalismo especializado na temática racial. Por meio de reportagens, coberturas, colunas, produções audiovisuais e ilustrações, o portal busca construir uma nova esfera pública no país, fundamentada em valores antirracistas

AzMina

Startup que usa comunicação, tecnologia e jornalismo para combater a desigualdade de gênero. Lidera campanhas de conscientização sobre desigualdade e violência e lançou o app PenhaS para combater a violência contra a mulher por meio da informação, criação de redes de apoio e produção de provas.

Fervura

Plataforma de notícias e entretenimento dedicada 100% à questão climática. Inova na abordagem do tema com uma linguagem pop e um mix de formatos de conteúdos que mescla notas, reportagens, colunas, podcast, humor, quadrinhos, infográficos, animações e vídeos.

Galápagos Newsmaking

Empresa de jornalismo digital com foco em inovar a produção e distribuição de conteúdo jornalístico de qualidade, tendo como premissa o uso de tecnologia, a prática educacional, e a inclusão do regionalismo e da diversidade.

MyNews

Canal de notícias no YouTube que tem como missão levar para o público informação de qualidade, análise e pluralidade de ideias. Criado em 2018, tem mais de 337 mil inscritos e mais de 439 milhões de minutos assistidos.

Núcleo Jornalismo

Veículo jornalístico com a missão de produzir investigações a partir de dados públicos e trazer mais transparência ao governo, ao debate político e a políticas públicas, em diferentes esferas e localidades.

Ponte Jornalismo

Veículo de comunicação independente focado na cobertura de direitos humanos com foco em temas de segurança pública, justiça, racismo, gênero e sistema prisional.

São Paulo para Crianças

Plataforma de notícias geolocalizadas, premiada pela ONU, que ajuda pais a brincarem com seus filhos, ampliando suas opções de lazer, revelando a cidade child friendly e a acessibilidade, gerando negócios para o Turismo e aumentando o uso dos equipamentos públicos.

Critérios para seleção

As startups foram selecionadas por um júri composto por membros das entidades parceiras da GNI, com base nos seguintes critérios: proposta de valor à sociedade clara e bem definida; adequação do produto às necessidades do mercado; qualificação da equipe; viabilidade de execução; contribuição para a diversidade, equidade e inclusão no ecossistema de notícias e ter uma política de ética corporativa bem definida.

Como efeito, dentre as startups selecionadas para o programa, metade têm mulheres entre seus membros, um terço é formado por pessoas negras no quadro de fundadores, os quais têm origem em diferentes estados brasileiros (como São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Paraná e Espírito Santo).

O Startup Lab da Google News Initiative foi desenvolvido em parceria com o Google for Startups, a escola de negócios Insper e o Echos, laboratório de inovação com histórico de iniciativas bem-sucedidas em criação de produto e design thinking.

Anunciado no início de 2020, o programa havia sido suspenso por conta da pandemia e volta agora em formato 100% virtual. Com início dos treinamentos em novembro e previsão de duração até abril de 2021, o cronograma do programa foi ajustado para estender a fase de imersão para 20 semanas, com aulas mais espaçadas e carga horária semanal reduzida, não demandando dedicação integral dos participantes.

Além das startups selecionadas, o objetivo é garantir que o conhecimento produzido durante a experiência ao longo dos meses de aceleração possam ser replicados a todo o ecossistema de notícias. Assim, o programa vai disponibilizar um playbook ao cabo do processo com os aprendizados, estudos de caso e as dicas dos especialistas e mentores participantes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: