Mercado fechará em 32 mins
  • BOVESPA

    108.011,54
    -710,04 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.564,25
    -484,80 (-0,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,68
    +2,57 (+3,47%)
     
  • OURO

    1.886,40
    +6,90 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    23.045,88
    -23,26 (-0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    531,80
    +5,84 (+1,11%)
     
  • S&P500

    4.122,32
    +11,24 (+0,27%)
     
  • DOW JONES

    33.881,95
    -9,07 (-0,03%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.685,47
    -8,18 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.621,25
    +105,75 (+0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5608
    +0,0415 (+0,75%)
     

Google adquire Fitbit em acordo de US$ 2,1 bilhões

A Google comprou a Fitbit por US$ 2,1 bilhões. As companhias anunciaram o acordo em comunicados separados na manhã desta sexta-feira (1). As duas já negociavam a junção há tempos, sendo que, agora, a Fitbit vai passar a integrar o time da Google no desenvolvimento de tecnologias para dispositivos vestíveis da gigante, principalmente em sistemas com Wear OS.

O acordo será feito em compra de ações em dinheiro, com US$ 7,35 por papel. A expectativa é de que a transação seja finalizada em 2020, mediante aprovação de acionistas de ambas empresas e de agências reguladoras nos EUA.

“Estamos ansioso para trabalhar com talentos incríveis na Fitbit e trazer para nós o melhor hardware, software e inteligência artificial para construir vestíveis e ajudar ainda mais pessoas em todo mundo”, aponta Rick Osterloh, vice-presidente sênior de aparelhos e serviços da Google.

Para a gigante, a aquisição do Fitbit é um investimento no ecossistema do Wear OS. “Estamos trabalhando duro para a próxima evolução do sistema operacional”, aponta Sameer Samat, vice-presidente de assuntos relacionados ao Wear OS.

Segundo Osterloh, as duas vão trabalhar no desenvolvimento de “ferramentas que ajudam as pessoas em conhecimento, sucesso, saúde e felicidade”. Ele ainda informou que os dados de usuários do Fitbit não serão usados no Google Ads e a nova companhia adquirda terá autonomia para revisar, mover ou apagar as informações que possui.

Junto disso, a Google também pretende ampliar a linha de produtos que pode se conectar com seus outros aparelhos, principalmente com os smartphones da linha Pixel.

Criada há 12 anos, a Fitbit é uma empresa de São Francisco com foco em vestíveis (wearables). A empresa já lançou uma série de aparelhos como pulseiras para rastreamentos de atividades físicas, relógios inteligentes, fones de ouvido sem fio, entre outros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: