Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.614,56
    +1.167,47 (+3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Google adia fim dos cookies para 2023 para colaborar com órgãos reguladores

·2 minuto de leitura

Em janeiro de 2020, o Google anunciou que não daria mais suporte aos cookies de terceiros em seu navegador a partir de 2022 com o objetivo de aumentar a privacidade dos usuários. Depois disso, a companhia se dedicou a elaborar e demonstrar suas propostas alternativas através do Privacy Sandbox — dentre elas, o controverso FLoC. Nesta quinta-feira (24), porém, a gigante anunciou adiou o fim dos cookies para 2023.

A movimentação servirá para o Google ganhar mais tempo e avançar “de forma responsável”, alega a empresa. Com o prazo prolongado, a gigante pretende ouvir o público para elaborar soluções melhores, enquanto se compromete a trabalhar com órgãos reguladores para aparar as pontas soltas. A colaboração com a indústria de publicidade também faz parte das prioridades.

A empresa de Mountain View parece estar em um dilema de complicada resolução. Decisões da gigante, devido a sua dimensão, tem desdobramentos profundos em uma série de mercados, mais ainda graças ao seu controle sobre o Chrome, o buscador e um serviço de anúncios. Se optar pelo caminho restritivo, supostamente benéfico para quem usa a internet, a empresa interferirá em negócios de milhares de companhias de publicidade; se mantiver as coisas como estão, por sua vez, as pessoas continuarão expostas ao rastreamento de dados dos mais diversos tipos.

Por onde o Google for, haverá questões problemáticas para lidar. Autoridades reguladoras continuarão em cima da companhia durante todo esse processo e, avancem as ideias do Privacy Sandbox ou não, ela também continuará na mira dos mais críticos.

Fim do suporte em duas etapas

Para cortar o suporte aos cookies, a firma comandada por Sundai Pichai seguirá em duas fases: depois da realização dos testes e do lançar APIs no Chrome, começará a fase um, que consiste em dar nove meses para publicitários e as companhias deste seguimento adaptarem seus serviços. Acabado esse período e caso a experiência seja positiva, começa a fase dois: cookies de terceiros serão abandonados ao longo de três meses, terminando em 2023.

O fim está a caminho, mas as alternativas seguem como “ideias”. O Federated Learning of Cohorts (FLoC) seria uma das soluções universais para tomar o lugar dos cookies. A proposta, para ter maior impacto, precisa ser aceita pela maioria dos navegadores — mas vários concorrentes rejeitaram a ideia logo de cara.

Nada impede, porém, que o modelo passe por reformulações ou receba alternativas mais interessantes neste período. Uma vez que os cookies podem estar fadados ao abandono, outros competidores desse seguimento podem aproveitar a ocasião para elaborar suas próprias ideias e, quem sabe, emplacar contra a dona do Chrome.

Para as ideias contidas no Privacy Sandbox, o Google promete divulgar um "cronograma mais detalhado" no futuro em seu site oficial. Nada está escrito em pedra, portanto podem acontecer mais mudanças até 2023.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos