Mercado fechado

Golpe usa falsa promoção de figurinhas da Copa do Mundo para roubar dados

Os criminosos sempre buscam se aproveitar de assuntos do momento para aplicar golpes e não poderia ser diferente com o álbum de figurinhas da Copa do Mundo 2022. Já está circulando pelo WhatsApp uma mensagem maliciosa de falsa promoção, prometendo o livro ilustrado e 40 pacotes de cromos para os usuários em troca de cadastros e compartilhamentos.

É uma tática usual dos bandidos, que abusam do mensageiro para disseminar as páginas maliciosas mais rapidamente. No caso da exploração descoberta pela empresa de segurança Kaspersky, o foco não está apenas sobre os dados pessoais dos usuários e no auxílio na disseminação do golpe, mas também no cadastro em sites de apostas esportivas que geram comissão para os criminosos sob o pretexto de sorteios em dinheiro.

Até mesmo um endereço que seria da Panini, editora oficial do álbum de figurinhas da Copa, é usado para atrair usuários, com o site efetivamente acessado sendo fraudulento. Após uma série de quatro perguntas, o usuário é contemplado com o prêmio independentemente das respostas dadas e, como sempre, para receber, precisa compartilhar a mensagem falsa com pelo menos cinco grupos ou 20 contatos no WhatsApp.

<em>Oferta de álbum de figurinhas da Copa, com 40 pacotinhos de graça, leva usuário a cadastro em sites de apostas esportivas (Imagem: Reprodução/Kaspersky)</em>
Oferta de álbum de figurinhas da Copa, com 40 pacotinhos de graça, leva usuário a cadastro em sites de apostas esportivas (Imagem: Reprodução/Kaspersky)

Tudo acontece diante de um contador de tempo, que gera urgência e faz com que as vítimas ajam rápido e sem pensar muito. Após os envios, elas são redirecionadas a sites que solicitam os dados pessoais e, também, para um site suspeito de apostas esportivas, no qual podem concorrer a mais R$ 1.000 desde que, claro, preenchem um cadastro o mais rapidamente possível.

Segundo Fabio Assolini, diretor da equipe global de pesquisa e análise da Kaspersky para a América Latina, o objetivo dessa segunda etapa é lucrar com programas de afiliados oferecidos por tais serviços. “Esses esquemas são pensados para enganar a vítima e fazer com que ela se inscreva. Os criadores da campanha ganham uma comissão para cada inscrição de alguém que clicou em seu link compartilhado.”

Golpe usa WhatsApp para fingir que é confiável

O uso do WhatsApp, também, abusa de uma ideia de confiabilidade. Afinal de contas, a chance de um usuário clicar em um link é maior quando ele vem de um contato conhecido, enquanto a ideia de que pode se tratar de um golpe acaba ficando mais distante, principalmente se mensagens sobre a possibilidade de receber o tão procurado álbum de figurinhas e pacotinhos gratuitos for incentivada diretamente.

A atenção, como sempre, é o melhor caminho para a segurança. Os usuários devem desconfiar de propostas em dinheiro ou ofertas de itens gratuitos, principalmente quando elas parecerem boas demais para serem verdade. No caso do golpe envolvendo o livro ilustrado da Copa do Mundo, estamos falando da distribuição de prêmios equivalentes a R$ 200, de um artigo incrivelmente popular e que vende muito bem nas bancas do país.

O ideal é não acessar links recebidos por mensageiros instantâneos nem preencher cadastros em sites suspeitos ou que cheguem por estes meios. Manter um antivírus instalado no computador e celular também ajuda na proteção contra fraudes assim, identificando sites fraudulentos e indicando o perigo aos usuários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: