Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.519,56
    +270,52 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,25
    -612,45 (-1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,59
    +0,13 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.809,40
    +7,90 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    17.168,29
    -102,29 (-0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,11
    -4,14 (-1,02%)
     
  • S&P500

    3.934,38
    -29,13 (-0,73%)
     
  • DOW JONES

    33.476,46
    -305,02 (-0,90%)
     
  • FTSE

    7.476,63
    +4,46 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.900,87
    +450,64 (+2,32%)
     
  • NIKKEI

    27.901,01
    +326,58 (+1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.553,00
    -92,50 (-0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5268
    +0,0262 (+0,48%)
     

Golpe no WhatsApp usa Fundo Garantidor de Crédito para atrair vítimas

Os golpes não param. Por isso, é preciso estar sempre atento. Uma mensagem que tem circulado pelo WhatsApp faz referência ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC). São fraudadores que usam o nome da instituição para oferecer empréstimos falsos. No texto, os criminosos apresentam dados públicos como justificativa para garantir que falam em nome do FGC.

Por isso, a instituição alerta que é uma entidade privada sem fins lucrativos que protege investidores, depositantes e correntistas quando instituições financeiras são liquidadas e não conseguem honrar seus pagamentos. O FGC integra a rede de proteção do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e esclarece que não atua como instituição financeira, bem como não oferece nem intermedeia empréstimos a pessoas físicas ou jurídicas.

Imagem: Divulgação/FGC
Imagem: Divulgação/FGC

O FGC afirma que está tomando medidas jurídicas em relação às ocorrências e orienta que consumidores que receberem abordagens em seu nome não devem fornecer dados pessoais e bancários. Além disso, é essencial que não façam depósitos antecipados e guardem as mensagens que comprovam o ato fraudulento. Denúncias podem ser feitas pelo e-mail faleconosco@fgc.org.br.

Um levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) indica aumento nas tentativas de fraudes financeiras no país durante a pandemia de COVID-19. Desde o início da crise sanitária, as instituições registraram crescimento de 80% nas tentativas de ataques por phishing — que engana usuários para obter informações confidenciais.

Para cometer as fraudes, os golpistas utilizam mensagens que parecem legítimas e, em geral, contém vírus ou links que direcionam a sites falsos. De acordo com a instituição, outro golpe crescente envolve falsos funcionário e falsas centrais telefônicas: eles tiveram aumento de 70%.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: