Mercado fechado

Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis

Felipe Demartini

Um novo dia, um novo golpe tentando se aproveitar da pandemia do coronavírus e do estado de isolamento social nas cidades brasileiras. A nova tentativa de fraude chega pelo WhatsApp e promete 7 GB de internet móvel gratuita para os usuários, usando o nome da Anatel e de diferentes operadoras nacionais que estariam, supostamente, em um momento de conscientização quanto à crescente necessidade dos clientes em relação ao uso de dados.

Tudo, claro, não passa de uma isca para levar vítimas a sites que tentam roubar dados ou infectar seus smartphones. O método, inclusive, é o mesmo que tradicionalmente aparece em tentativas de fraude dessa categoria — a vítima é levada a um site onde responde diversas perguntas sobre a operadora que utiliza ou os cuidados com o coronavírus, de acordo com a versão usada pelos criminosos. As respostas não importam e, ao final, para liberar o benefício, é preciso compartilhar o link da fraude com contatos por meio do WhatsApp. Na sequência, o usuário deve inserir um e-mail para ter acesso à oferta que, claro, não existe. 

Anatel e operadoras de telefonia móvel são usadas como isca em golpe que promete 7 GB de internet móvel gratuita. Usuário é levado a sites de phishing e pode ter dados roubados (Imagem: Reprodução/ESET)

De acordo com o alerta emitido pela ESET, empresa especializada em segurança digital, o objetivo do golpe é o roubo de dados, com a vítima se tornando alvo de tentativas de phishing e outros comprometimentos de suas informações pessoais. Além disso, claro, a fraude é levada adiante pelo mensageiro, com os hackers se aproveitando da tendência das pessoas confiarem mais em informações recebidas por contatos conhecidos.

Como as versões do golpe variam, também mudam as etapas finais. Ao inserir seu e-mail, a vítima pode receber comunicações falsas em nomes de operadoras, bancos e outros serviços, sendo levadas a sites que exigem o download de soluções maliciosas, incluem cadastros falsos em busca de mais dados ou páginas que trazem uma grande quantidade de anúncios, cuja renda é revertida aos criminosos.

A Kaspersky, outra empresa especializada em segurança da informação, também emitiu alerta sobre a mesma tentativa de fraudes. De acordo com o pesquisador de segurança sênior da firma, Fabio Assolini, os bandidos se aproveitam da pandemia e das necessidades de trabalhadores em home office ou confinados em casa para aplicarem golpes que envolvem não apenas a Anatel e operadoras de telefonia, mas também serviços de streaming e até programas do governo.

“A distração causada pelo trabalho de casa, bem como a falta de políticas de TI que estão presentes em muitas empresas, acabam aumentando a eficácia desse tipo de ataque”, explica o especialista. Ele aponta, por exemplo, para um aumento de 350% nas tentativas de ransomware apenas neste primeiro trimestre de 2020 e golpes voltados aos usuários comuns, trazendo páginas falsas de venda de álcool gel ou promoções como a citada no aviso emitido pela ESET.

A recomendação, como sempre, é manter o olho vivo quanto a promoções dessa categoria. Caso elas pareçam boas demais para serem verdade, provavelmente não são. O usuário deve evitar clicar em links que cheguem por e-mail ou mensageiros instantâneos, mesmo que venham de contatos conhecidos, e jamais entregar dados ou fazer downloads em páginas que pareçam suspeitas.

Vale a pena observar endereços de e-mail ou os sites em que tais ofertas estão hospedadas, já que eles geralmente não corresponderão aos oficiais. Caso acredite que a comunicação é real, o ideal é tirar dúvidas diretamente com a empresa ou serviço em questão.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: