Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.620,91
    +2.376,42 (+5,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Golpe da falsa vaga de trabalho atingiu 75% dos desempregados em 2021

·3 min de leitura

Além do crescimento do desemprego no Brasil causado pela pandemia, as pessoas que buscam um trabalho, segundo o IBGE, tem que se preocupar com mais um problema: os anúncios falsos e golpes por meio de vagas.

Em uma pesquisa produzida pela Heach Recursos Humanos entre os dias 20 de outubro e 1° de novembro, com 800 candidatos, 604 reportaram já terem sido enganados por vagas falsas, cerca de 75,5% dos entrevistados; 112 relataram que nunca foram vítimas, equivalente a 14%,do total; enquanto 84 relatam não saber se lidaram com os anúncios falsos, ou seja, 10,5%.

Já em relação à quantidade de vezes que acabaram sendo enganados por esses anúncios, 401 candidatos foram vítimas três vezes ou mais, o que representa 66.39%, 138 foram duas vezes, totalizando uma proporção de 22,85% e apenas 65 candidatos relatam terem sido vítima apenas uma vez, o que representa 10,76%.

Outra informação importante detectada pela pesquisa é a alta frequências no qual os golpes estão acontecendo. Segundo o levantamento, 416 candidatos responderam a anúncios falsos nos últimos 12 meses, o que representa 68,87% dos entrevistados. Se considerarmos os últimos 18 meses aumenta para 503 candidatos, ou seja, 83,28 % foram abordados por pelo menos uma vaga falsa durante o período de pandemia.

Elcio Paulo Teixeira, CEO da Heach Recursos Humanos, afirma que a pesquisa é importante para mostrar esses dados. "Vemos uma forte tendência de crescimento de golpes, sobretudo com o uso mais frequente da tecnologia na divulgação de vagas e captação de candidatos, mas sobretudo pelos danos causados pela pandemia que cria um ambiente mais propício para que golpistas se aproveitem das pessoas mais vulneráveis e que por necessidade e muitas vezes desespero, acabam se tornando vítimas de verdadeiras quadrilhas do emprego falso."

Tipos de golpe

A pesquisa revelou quatro tipos principais de golpe: 496 relataram sobre informações falsas de remuneração e as rotinas de trabalho, 128 informaram que pediram dinheiro para que ele pudesse se cadastrar na vaga, 155 foram solicitados a frequentar um curso ou formação antes de conseguir o emprego, e 346 relataram que os supostos empregadores pediram dados pessoais, como CPF ou dados bancários.

Muitas dessas vagas estão publicadas em sites confiáveis, o que acaba as dando maior credibilidade, permitindo assim que muitos candidatos caiam no golpe e tenham seus golpes pessoais roubados, além de também tentativas de phishing e engenharia social, para atrair vítimas para salas de bate-papo ou comunicação via e-mail, onde os dispositivos podem ser infectados por agentes e links maliciosos.

Para o CEO da Heach Recursos Humanos, é importante ter algumas dicas em mente, para se prevenir desses golpes. "É essencial que o candidato esteja atento para detalhes do anúncio, como promessas de alto rendimento, trabalho full time em home office, erros gramaticais e de escrita, links "quebrados", sites que não possuam o cadeado de segurança, entre outros. Tudo isso são indícios para que o candidato esteja atento e investigue mais antes de dar o próximo passo, que pode ser o compartilhamento de informações pessoais ou o pagamento de alguma taxa. A atenção aos detalhes faz toda a diferença para minimizar o risco de golpes e garantir que o candidato participe de processos seletivos genuínos e seguros."

Ficou preocupado com o golpe? O Canaltech tem uma matéria com cinco dicas para evitar que você se torne uma vítima da fraude da falsa vaga de emprego.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos