Mercado fechado

Golpe de criptomoedas no YouTube usou CEO da Apple como isca

Uma entrevista antiga do CEO da Apple, Tim Cook, foi usada como isca para um golpe envolvendo criptomoedas. Um usuário fez uma transmissão ao vivo e conseguiu reunir milhares de espectadores graças ao uso de palavras-chave relacionadas à Maçã no título e na descrição.

A estratégia só foi possível porque no mesmo dia e horário estava ocorrendo a conferência na qual a Apple apresentou o iPhone 14 e o novo iOS. O título era "Apple Event Live. CEO of Apple Tim Cook: Apple & Metaverse in 2022", mas o material era de uma entrevista antiga conduzida pela CNN em 2018.

A entrevista antiga foi publicada como se fosse nova e atribuída a criptomoedas, embora o assunto fosse outro (Imagem: Jay Peters/The Verge)
A entrevista antiga foi publicada como se fosse nova e atribuída a criptomoedas, embora o assunto fosse outro (Imagem: Jay Peters/The Verge)

O vídeo foi editado para incluir logotipos do Bitcoin e do Ethereum, as duas criptomoedas mais populares do planeta, e uma arte com o texto “Apple Crypto Event 2022”. Embora o conteúdo antigo falasse da criadora do iPhone, um link malicioso direcionava as pessoas para um site de criptomoedas um tanto quanto estranho.

A página de destino nada tinha a ver com a Apple, e provavelmente serve para roubar credenciais de carteiras de criptomoedas. Quando as pessoas conectam suas contas em sites como este, os criminosos conseguem acesso a dados confidenciais, como as seeds e a senha de acesso, o que possibilita sacar dinheiro e transferir NFTs da conta.

Não está claro se o canal iria transmitir a conferência da Apple e foi roubado por criminosos para o golpe ou se o perfil realmente tentava enganar as pessoas propositalmente. A gigante de Cupertino nada anunciou recentemente que envolva criptomoedas, portanto qualquer coisa nesse sentido é fraude.

Live fake foi promovida na home do YouTube

Por alguma razão, a live falsa foi recomendada na página inicial do YouTube, o que pode ter ajudado a impulsionar as visualizações. Segundo o site The Verge, o primeiro a identificar o caso, a transmissão começou com 16 mil espectadores e chegou a bater 70 mil no momento da publicação da história.

Na mesma hora, outra transmissão fake atribuída à Maçã alegava se tratar de um evento de Cook e o CEO da Testla, Elon Musk, tratando sobre Apple e o metaverso. Na realidade, trata-se de um vídeo de uma entrevista sobre Bitcoin na qual participou Musk e o fundador e ex-CEO do Twitter, Jack Dorsey. O canal também chegou a alcançar números expressivos (10 mil espectadores) e direcionava os usuários para outra página falsa de criptomoedas.

O YouTube não se manifestou sobre o ocorrido, mas retirou ambas as transmissões do ar assim que identificou. As lives foram removidas por violar os termos de serviço da plataforma.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: