Mercado abrirá em 35 mins
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,08
    +1,84 (+2,38%)
     
  • OURO

    1.768,40
    +13,10 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    16.519,30
    +298,98 (+1,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    390,27
    +9,98 (+2,63%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    +41,73 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.663,75
    +47,50 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5635
    +0,0143 (+0,26%)
     

Golf elétrico a caminho? Executivo da Volkswagen diz que é possível

O Golf, um dos carros mais vendidos e icônicos produzidos pela Volkswagen em todos os tempos, não será deixado para trás pela marca com a chegada da era da eletrificação. A informação, em tom de promessa, foi feita por Thomas Shafer, CEO de automóveis de passeio da montadora, durante o LA Auto Show.

Segundo o executivo, a Volkswagen não abrirá mão do nome Golf “de jeito nenhum”. E o que isso significa, na prática? Shafer deixou claro que um Golf 100% elétrico está nos planos da marca, e que sua identificação não seguirá a linha dos demais modelos de carros de passeio já lançados, casos do ID.3 e do ID.4.

“Temos nomes de marcas icônicas, Golf e GTI. Seria uma loucura deixá-los morrer e escapar. Manteremos a lógica do ID, mas os modelos icônicos levarão um nome”, revelou, antecipando que a nova geração do modelo pode ser batizada como ID.Golf.

Thomas Shafer afirmou ainda que o ID.3 nunca teve a intenção de se tornar um substituto do Golf no mercado, e que o primeiro modelo elétrico revelado pela marca - e já testado pelo Canaltech - seria uma espécie de “Golf Plus”.

Golf híbrido ficou pouco no Brasil

O Golf já teve um modelo eletrificado no mercado, inclusive no Brasil. Chamado de Golf GTE, o hatchback médio foi testado e aprovado pela reportagem do Canaltech, e recebeu o crivo de melhor carro da Volkswagen disponível à época aqui no País.

O GTE tinha a motorização composta por dois propulsores, o 1.4 TSI de 150cv e 25,9 kgfm de torque a gasolina e o elétrico de 102 cv e 33,6 kgfm. Quando combinados, esses motores ofereciam 204 cv e 35,7 kgfm de torque. O consumo médio era de 25 km/l, e a autonomia exclusivamente elétrica era de cerca de 39 quilômetros.

Golf GT-E, versão híbrida do hatch, ficou pouco tempo à venda no Brasil (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Golf GT-E, versão híbrida do hatch, ficou pouco tempo à venda no Brasil (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

O alto preço (cerca de R$ 200 mil) acabou reduzindo o alcance do carro que, em 2021, já não era mais produzido por aqui. Na Europa, a oitava geração do Golf tradicional, a combustão, deve sair de cena entre 2027 e 2028, abrindo caminho para a chegada definitiva do ID.Golf, o Golf elétrico.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: