Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,24
    +1,01 (+1,40%)
     
  • OURO

    1.742,80
    -36,00 (-2,02%)
     
  • BTC-USD

    44.693,46
    +1.121,00 (+2,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,18
    +10,26 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.296,00
    +132,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2252
    +0,0164 (+0,26%)
     

Goldman Sachs eleva chances de anúncio de redução de estímulo pelo Fed em novembro

·1 minuto de leitura
Goldman Sachs eleva chances de anúncio de redução de estímulo pelo Fed em novembro

LONDRES (Reuters) - Economistas do Goldman Sachs elevaram a probabilidade de que o Federal Reserve anuncie o início da redução de suas compras de títulos -- chamado de "tapering" -- em novembro, prevendo que o banco central norte-americano deverá optar por desacelerar as compras em 15 bilhões de dólares na ocasião e nas reuniões que se seguem.

Em nota, o banco de investimentos disse que aumentou de 25% para 45% as chances de que um anúncio formal da redução de estímulos ocorra no mês de novembro e reduziu de 55% para 35% as chances disso acontecer em dezembro.

De acordo com o Goldman, o ritmo total da redução gradual de 15 bilhões de dólares por reunião provavelmente seria dividido entre 10 bilhões de dólares em títulos do Tesouro e 5 bilhões de dólares em títulos lastreados em hipotecas.

"Um anúncio em novembro junto com um ritmo (de redução) de 15 bilhões de dólares por reunião significaria que o Fomc fará a redução final na sua reunião de setembro de 2022", disseram analistas do Goldman Sachs em nota datada de 18 de agosto, referindo-se ao Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed.

O momento e o ritmo da redução de estímulos pelo Fed é um foco importante para os mercados. Recentemente, dados robustos de emprego nos EUA impulsionaram as conversas sobre a possibilidade de uma redução na compra de ativos em breve.

Mas com a variante Delta da Covid-19 se espalhando pelos Estados Unidos e as interrupções na cadeia de suprimentos persistindo, muitos economistas estão reduzindo suas perspectivas de crescimento. E uma perspectiva ainda incerta significa que o Fed pode preferir errar por excesso de cautela em seu cronograma de "tapering".

(Por Dhara Ranasinghe)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos