Mercado fechará em 1 h 21 min
  • BOVESPA

    108.961,15
    +1.024,04 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.459,67
    -430,92 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,24
    +1,93 (+2,32%)
     
  • OURO

    1.849,00
    +7,30 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    37.218,54
    +2.418,15 (+6,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    845,76
    +25,17 (+3,07%)
     
  • S&P500

    4.326,86
    -83,27 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    33.998,44
    -366,06 (-1,07%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.121,00
    -380,00 (-2,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1574
    -0,0713 (-1,14%)
     

Goldman retrocede no retorno ao escritório por surtos de ômicron

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O Goldman Sachs, um dos mais ferozes de Wall Street quanto ao retorno de sua equipe aos escritórios, está pedindo aos funcionários dos Estados Unidos que trabalhem em casa, se puderem, até 18 de janeiro, enquanto a Covid-19 avança em todo o país.

A reversão do Goldman ocorre após a maioria de seus principais pares, incluindo JPMorgan Chase e Citigroup, adotarem uma postura mais cautelosa à medida que a variante ômicron se espalha rapidamente pelos EUA.

“À medida que continuamos monitorando a trajetória desse pico, agora incentivamos aqueles que podem trabalhar com eficiência em casa a fazê-lo”, disse o banco no domingo em um memorando aos funcionários.

Ainda na semana passada, o Goldman havia intensificado o seu plano de retorno ao escritório, tornando as vacinas de reforço obrigatórias. Qualquer pessoa que entrasse em seus escritórios deveria receber uma dose de reforço até 1º de fevereiro se fosse elegível até essa data, disse o banco à sua força de trabalho nos EUA em 27 de dezembro.

Um porta-voz do Goldman não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Propagação no feriado

A região de Nova York foi duramente atingida pelo aumento nas infecções neste inverno americano, levantando preocupações sobre o que acontecerá nos escritórios e nas escolas, conforme as famílias retornam de reuniões comemorativas ou férias nos próximos dias. Isso forçou alguns bancos a revisar as estratégias quanto aos funcionários nas últimas semanas, com vários deles abrandando as autorizações de deslocamento até os prédios.

O JPMorgan está oferecendo aos funcionários a opção de trabalhar em casa nas primeiras semanas deste ano, disse o banco aos funcionários em um memorando na quinta-feira. A expectativa é de que os funcionários retomem as atividades no escritório em 1º de fevereiro.

O Citigroup pediu aos funcionários que trabalhem em casa nas primeiras semanas do ano novo, se puderem. O Bank of America está incentivando os funcionários a trabalhar em casa esta semana.

O Jefferies Financial pediu no mês passado que a equipe trabalhasse remotamente e recebesse uma dose de reforço até o final de janeiro. O CEO Rich Handler se isolou em dezembro, depois de testar positivo para Covid-19.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos