Mercado fechará em 2 h 12 min
  • BOVESPA

    107.330,88
    -1.610,80 (-1,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.332,87
    -1.266,51 (-2,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,68
    -2,46 (-2,89%)
     
  • OURO

    1.833,40
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    34.177,94
    -1.067,38 (-3,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    778,03
    -32,57 (-4,02%)
     
  • S&P500

    4.255,23
    -142,71 (-3,24%)
     
  • DOW JONES

    33.379,24
    -886,13 (-2,59%)
     
  • FTSE

    7.307,71
    -186,42 (-2,49%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.940,25
    -486,25 (-3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2358
    +0,0458 (+0,74%)
     

Goldman indica ações europeias com perspectiva de alta pelo Fed

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- As bolsas europeias são um bom abrigo para se proteger da onda de desvalorização das ações globais desencadeada pela perspectiva de alta mais forte dos juros nos EUA. A recomendação é de estrategistas do Goldman Sachs Group.

Most Read from Bloomberg

“O aumento dos juros deve favorecer as bolsas europeias, considerando a maior parcela de setores de menor duração e sensíveis a juros que compõem o índice” de referência do continente, escreveram estrategistas liderados por Sharon Bell em nota divulgada nesta quinta-feira. A Europa também difere dos EUA porque “os múltiplos em grande parte do mercado não parecem particularmente esticados em relação ao que se via no passado”, acrescentaram.

A derrapada do mercado global começou nos EUA na quarta-feira, após o Federal Reserve, banco central dos EUA, sinalizar aumentos de juros mais agressivos do que muitos previam. Ações de tecnologia — que têm valor com base nas expectativas de crescimento futuro — foram alvo de mais vendas por causa dos múltiplos elevados.

Nos mercados europeus, as oscilações foram bem menores do que nos EUA e Ásia. O índice de referência Stoxx 600 chegou a recuar 1,6% antes da abertura do pregão nesta quinta-feira, mas amenizou a queda. O índice permanece em território positivo de 0,2% este ano, enquanto o S&P 500 caiu 1,4% e o Nasdaq, concentrado em papéis de tecnologia, já perdeu 3,4% em 2022.

Embora as bolsas europeias tenham apresentado desempenho consistentemente inferior ao de seus pares nos EUA desde a crise financeira global, agora “a balança está se inclinando ligeiramente a favor da Europa”, na opinião dos estrategistas do Goldman. Uma grande diferença é a política fiscal, com planejado aumento de gastos na Europa, incluindo um pacote de estímulos associado a sustentabilidade, enquanto o suporte fiscal tende a diminuir nos EUA.

Paralelamente, a “diferença em termos de lucros está se estreitando”, já que as estimativas de lucro futuro por ação estão melhores na Europa do que nos EUA no último ano, afirmou o relatório. Os estrategistas recomendam ações de bancos e empresas de energia na Europa e destacaram o setor de saúde como sua área de crescimento preferida com ações “baratas”.

O Goldman não está sozinho no entendimento de que o mercado europeu se sairá vencedor no retorno à normalidade após a pandemia. “As ações europeias podem cambalear com o primeiro aumento de juros pelo Fed, mas geralmente acabam se recuperando”, escreveram estrategistas do Citigroup liderados por Beata Manthey em nota distribuída na quarta-feira.

“Rendimentos mais altos podem ajudar transações tradicionais com ativos de valor, como ações do Reino Unido e do setor financeiro do continente europeu”, acrescentaram.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos