Mercado fechado

Gol acorda compartilhamento de voos com American Airlines; ações sobem

Rita Azevedo e Marcelle Gutierrez

Como parte do acordo, a empresa americana irá expandir a atuação em Miami, com a inclusão de um novo voo diário com direção ao Rio de Janeiro A American Airlines informou nesta terça-feira (4) que fechou um acordo para o compartilhamento de voos com a brasileira Gol.

Mike Fuentes/Bloomberg

A parceria permitirá à companhia americana oferecer 20 novos destinos para a América do Sul, como Assunção, no Paraguai, e permitirá à Gol o compartilhamento de voos em novas rotas nos Estados Unidos.

No comunicado da American Airlines, Eduardo Bernardes, vice-presidente comercial da Gol, diz que “em breve a parceria deve aumentar para mais de 30 destinos nos Estados Unidos ”. Os termos ainda serão avaliados por autoridades americanas e brasileiras.

Como parte do acordo, a American Airlines irá expandir a atuação em Miami, com a inclusão de um novo voo diário com direção ao Rio de Janeiro.

Além disso, a empresa também pretende adicionar 12 voos partindo de seis cidades americanas (Nashville, Boston, Houston, Orlando, Raleigh-Durham e Tampa) com destino ao Aeroporto de Miami “oferecendo mais oportunidades para que clientes voem para a América Latina”, conforme o comunicado.

Ações sobem

O acordo para compartilhamento de voos com a American Airlines impulsiona as ações da companhia aérea brasileira nesta terça. Por volta das 15h44, Gol PN tinha alta de 3,55%, a R$ 35,57. Na máxima do dia, de R$ 36,25, o papel chegou a subir 5,53%

Para o BTG Pactual, a parceria entre Gol e American Airlines indica mais serviços de integração e compartilhamento de rotas. Por exemplo, os analistas apontam, em comentário ao mercado, os 20 novos destinos para clientes Gol dentre dos Estados Unidos e maior penetração na América do Sul para clientes da AA.

De forma geral, o BTG não acredita que o anúncio traga novidades para a visão geral da empresa como investimento, apesar de reforçar valor estratégico. A equipe de análise no banco prefere os papéis da Gol, com recomendação de compra, devido a cotação estar muito atrás da concorrente Azul — por volta das 15h47, as ações preferenciais da Azul subiam 0,45%, a R$ 60,40.