Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,26
    -0,43 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.787,40
    +11,40 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    56.747,98
    +2.456,23 (+4,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.452,67
    +47,36 (+3,37%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.812,63
    -241,37 (-0,83%)
     
  • NASDAQ

    13.491,75
    -44,25 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4355
    -0,1038 (-1,59%)
     

Globo pode reduzir premiações na Copa do Brasil; confira

LANCE!
·1 minuto de leitura


Atrás somente do Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil é a competição mais cara do futebol nacional. Todavia, pode ter seus valores reduzidos nas próximas temporadas. O grupo Globo, dona dos direitos televisivos do torneio até 2022, discute a possibilidade de reduzir os pagamentos já no próximo ciclo, em 2023.
+ Confira os grupos da Copa Libertadores 2021

Pelo contrato atual, a emissora, detentora da Copa do Brasil desde 2018, desembolsará R$ 1,8 bilhão pelo campeonato, inferior somente aos valores pagos pelo Brasileiro. O objetivo com a redução de pagamentos é adequar a folha do Esporte da Globo com o cenário atual, afetada pela pandemia da Covid-19.

O novo contrato deve ser discutido ainda no primeiro semestre de 2021. A ideia central da rede é manter a Copa do Brasil atraente para os clubes brasileiros. Diante desse cenário, a negociação torna-se complicada, uma vez que o atrativo premiação e economia caminham em sentidos opostos.

A CBF já esta ciente do desejo do grupo Globo, e deve somente abrir negociações quando a proposta for oficializada. Pela relevância na TV aberta e fechada, a emissora não pretende perder a competição devido ao seu alto índice de audiência, principalmente nas fases finais do torneio.