Mercado fechado

Globo exibe 'Pantera Negra' na 'Tela quente', em homenagem a Chadwick Boseman

Extra
·2 minutos de leitura

A Rede Globo confirmou a trasmissão do filme "Pantera Negra" nesta segunda-feira, dia 31, na "Tela Quente". É uma forma de homenagear o ator e protagonista do longa, Chadwick Boseman, que morreu na última sexta-feira, aos 43 anos, vítima de um câncer de cólon.

A morte do ator tomou o mundo de surpresa na noite desta sexta-feira. O fato de Boseman não ter revelado em nenhum momento que sofria de um câncer grave, e ter continuado trabalhando enquanto se tratava da doença, foi um dos temas mais comentados por seus admiradores. Tanto pela enorma força de vontade demonstrada pelo ator, quanto como uma explicação para imagens recentes dele, em que Boseman aparecia muito magro.

Visto pela última vez no filme "Destacamento Blood", de Spike Lee (lançado em junho na Netflix), Boseman foi diagnosticado com o estágio 3 do câncer em 2016. De lá pra cá, o artista rodou uma série de filmes de sucesso, — entre eles "Pantera Negra" e "Vingadores: guerra Infinita" — mas sem levar ao público a informação de que também se submetia a cirurgias e quimioterapias durante o período.

Um vídeo publicado em suas redes sociais, em abril de 2020 (veja abaixo), chamou atenção de seus admiradores para a gritante perda de peso. A intenção do ator era divulgar a Operação 42, iniciativa para ajudar hospitais que atendem comunidades negras durante a pandemia do novo coronavírus. O nome é inspirado no filme “42” (2013), em que ele interpreta Jackie Robinson, primeiro jogador de beisebol negro a participar da liga profissional.

Desde fevereiro, quando foi fotografado na cerimônia de entrega do Oscar — na ocasião, inclusive, ele já aparentava estar mais magro —, o ator não fazia aparições públicas. Devido à pandemia de Covid-19, o artista estava recluso, em isolamento social, mostrando o rosto apenas através de lives na internet.

Em junho, foram divulgadas fotos em que o ator aparecia entrando em cadeira de rodas num hospital, o que também não foi esclarecido pelo próprio à época. Em nenhum momento, qualquer informação sobre o diagnóstico foi repassada ou vazada para a imprensa.

"Minha vida não é da conta de ninguém, de verdade. Quando falo sobre coisas pessoais, torno-me uma espécie de celebridade. E minha vida pessoal acaba interfeirindo na parte profissional. Eu sou um ator, e as pessoas me conhecem pelos personagens que eu interpreto. Elas têm uma impressão sobre quem eu sou, mas não sabem realmente tudo", o ator ressaltou, numa entrevista a uma publicação americana.

A lista de seus últimos trabalhos é notória. Em 2019, Boseman esteve em "Crime sem saída" e "Vingadores: Ultimato". No ano anterior, estrelou "Pantera Negra" e integrou o elenco de "Vingadores: Guerra infinita". Em 2017, protagonizou "Marshall: Igualdade e Justiça". Já em 2016, ano do diagnóstico, ele apareceu na tela em "Capitão América: Guerra Civil", "King: Uma história de vingança" e "Deuses do Egito".