Mercado fechará em 4 h 11 min
  • BOVESPA

    108.667,17
    +1.288,25 (+1,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.267,20
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,15
    +1,09 (+2,53%)
     
  • OURO

    1.802,20
    -35,60 (-1,94%)
     
  • BTC-USD

    19.262,04
    +810,08 (+4,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,16
    +10,41 (+2,81%)
     
  • S&P500

    3.598,92
    +21,33 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    29.881,19
    +289,92 (+0,98%)
     
  • FTSE

    6.421,55
    +87,71 (+1,38%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    11.894,50
    -10,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3934
    -0,0469 (-0,73%)
     

GitHub ameaça banir quem repostar app para baixar vídeos do YouTube

Felipe Demartini
·3 minuto de leitura

O YouTube-DL, um dos softwares mais comuns para download de vídeos do serviço, foi retirado do ar. Agora, a comunidade que trabalha para manter o projeto ativo e funcionando pode sofrer o mesmo destino, com o GitHub informando que, como o caso se trata de uma notificação extrajudicial, contas que republicarem a aplicação poderão ser suspensas ou banidas caso mantenham o aplicativo no ar.

O comunicado foi enviado pelo repositório a todos os usuários que mantinham códigos, elementos ou a própria versão integral do YouTube-DL em seus perfis, com tudo isso sendo retirado do ar. A medida é consequência de um aviso dado ao GitHub pela RIAA (Associação da Indústria Fonográfica Americana, na sigla em inglês), que no final de outubro, solicitou oficialmente a retirada do aplicativo e todos os seus componentes da plataforma.

Na notificação, a associação afirma que o software fere as leis de direitos autorais, mais especificamente o DMCA (Ato de Copyright Milênio Digital, na sigla em inglês), ao permitir que conteúdos oficiais sejam baixados ilegalmente ou que backups de materiais irregulares sejam armazenados. A norma permite que estúdios e detentores de direitos autorais solicitem a remoção de publicações não licenciadas às plataformas, e foi a mesma que foi usada, também, para que o YouTube-DL fosse retirado do ar.

De acordo com o site TorrentFreak, o pedido de remoção mais do que triplicou o interesse não apenas pelo YouTube-DL, como também por outras soluções não oficiais de download de vídeos da plataforma. Além disso, o veículo cita a comunidade de desenvolvedores de softwares como uma grande defensora da solução, um movimento que culminou nas repostagens do código original e, agora, nos alertas do GitHub sobre os possíveis banimentos.

YouTube-DL pode ser encontrado facilmente fora do GitHub

No comunicado, o GitHub afirma desejar trabalhar com os desenvolvedores para que o projeto seja restabelecido fora de seus domínios e que discorda da decisão da RIAA, mas aponta, também, estar sujeito a uma ordem judicial. Em outros casos, quando um aplicativo é retirado do ar, a repostagem também não é recomendada, com os desenvolvedores devendo seguir os processos de apelo disponíveis. Em ambos, suspensões e banimentos costumam ser as penas aplicadas pela moderação, já que a publicação repetida de apps banidos é uma violação dos termos de uso da plataforma.

Fora do repositório de desenvolvimento, entretanto, é fácil encontrar o YouTube-DL para baixar, bastando uma busca rápida no Google. Enquanto o próprio GitHub não segue adiante com os supostos planos de manter a aplicação no ar, sejam eles quais forem, a comunidade já parece estar fazendo o mesmo, se valendo, também, da ideia de que pedidos de retirada devem ser feitos de maneira individual, um a um, e de forma direta. É o famoso caso da hidra, que normalmente se aplica à pirataria, regenerando mais cabeças do que as autoridades são capazes de cortar.

Mesmo que a associação da indústria fonográfica conseguisse varrer o YouTube-DL da internet, existem diversas outras soluções de download de vídeos da plataforma do Google, disponíveis tanto online quanto na forma de softwares para baixar. No próprio GitHub, outras soluções do tipo estão disponíveis, sendo discutidas e desenvolvidas, sem que a plataforma demonstre qualquer intenção de tirá-las do ar a não ser, claro, que novas notificações extrajudiciais sejam recebidas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: