Mercado fechará em 6 h 54 min
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,19
    -1,47 (-1,78%)
     
  • OURO

    1.804,10
    +5,30 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    61.074,75
    +2.320,95 (+3,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.470,63
    -3,70 (-0,25%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.230,11
    -23,16 (-0,32%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.672,25
    +85,00 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4599
    +0,0352 (+0,55%)
     

Giro da Saúde: "spoiler" de Alzheimer; implante anti-deprê; vacina da malária

·4 minuto de leitura

As notícias que mais sacudiram a editoria de saúde e ciência no Canaltech na semana passada já estão aqui! No Giro da Saúde, resumimos o top 5 da editoria e, de quebra, trazemos uma lista de temas importantes que foram notícia no Brasil e no mundo. Acompanhe agora!

Brasil registra 600 mil mortes por covid

Twenty20photos/Envato Elements
Twenty20photos/Envato Elements

Na quinta passada (7), o Brasil ultrapassou a marca dos 600 mil óbitos por covid-19. A informação veio de um levantamento feito pela Agência CNN, juntamente às secretarias estaduais de saúde. Até a data, o país já somava 21.536.707 casos da infecção causada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 600.067 mortes.

Mas vale ressaltar que, com a vacinação em massa no país, o número de óbitos registrado diariamente vem passando por quedas consecutivas. Para se ter ideia, até a última sexta (8), mais de 45% da população brasileira estava com o esquema vacinal completo, representando 56,9 milhões de pessoas.

Histórico! OMS aprova vacina da malária

FabrikaPhoto/Envato Elements
FabrikaPhoto/Envato Elements

A África subsaariana finalmente vive um momento histórico em saúde pública: na quarta-feira (6), a Organização Mundial da Saúde aprovou a primeira vacina contra malária, doença que vem causando vítimas e ceifando a vida de milhares de jovens a cada ano. Com altra transmissibilidade, a malária é provocada por um protozoário chamado plasmodium, que usa o mosquito Anopheles como vetor.

"A tão esperada vacina contra a malária para crianças é um avanço para a ciência, a saúde infantil e o controle da malária. Isso pode salvar dezenas de milhares de jovens a cada ano", afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em coletiva. A aprovação do imunizante, batizado de RTS,S, veio após o sucesso dos programas piloto de imunização em Gana, Quênia e Malauí. Para saber mais sobre datas e distribuição da vacina, acesse o especial publicado no Canaltech.

O implante cerebral que curou a depressão desta mulher

Rawpixel/Envato
Rawpixel/Envato

Cientistas da Universidade da Califórnia, em São Francisco, realizaram um feito inédito e digno de louros na ciência: criaram um implante cerebral que funciona como uma espécie de marca-passo afixado ao crânio, que envia sinais elétricos ao cérebro, em uma arriscada tentativa de tratar depressão profunda. Participou do projeto uma mulher de 36 anos chamada Sarah, que sofria com a forma grave da doença.

No projeto, eles instalaram o implante sob o couro cabeludo de Sarah e a acompanharam por um ano. Assim que acordou da cirurgia, ela conta que já sentiu uma onda de euforia, e dentro de algumas semanas, seus pensamentos suicidas, que eram recorrentes, desapareceram. Agora, passado um ano da cirurgia, Sarah permanece colhendo os frutos do dispositivo, sem efeitos colaterais.

O dispositivo dispara cerca de 300 impulsos elétricos por dia no cérebro. É um experimento audacioso, mas que vem trazendo qualidade de vida e novas perspectivas à paciente. "Nunca fomos capazes de fazer esse tipo de terapia personalizada na psiquiatria", conta Katherine Scangos, professora adjunta da Universidade da Califórnia e líder do projeto. "O sucesso, por si só, já um avanço incrível do nosso conhecimento sobre as funções cerebrais que levam à doença mental", completa.

Brasil quer tratar covid-19 com células-tronco

Doodlartdotcom/Pixabay
Doodlartdotcom/Pixabay

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, no início do mês, um estudo clínico que visa tratar com células-tronco os pacientes que desenvolveram pneumonia viral em decorrência da covid-19. De início, os testes contra o SARS-CoV-2 devem ocorrer em 4 estados brasileiros: Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Rio de Janeiro. O estudo inicial é patrocinado pela Associação Paranaense de Cultura (APC) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR).

Para a pesquisa, poderão ser recrutados até 60 voluntários. Cada participante deve ter o diagnóstico de pneumonia viral causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, confirmado por testes RT-PCR, em situação moderada ou grave. Além disso, será necessário assinar um termo de consentimento, visto que o experimento é audacioso. Acontece que, até agora, a Anvisa não aprovou nenhum tratamento com células-tronco para nenhuma das fases da covid-19. Ainda não foram apresentadas evidências que confirmem a segurança e a eficácia desse tipo de tratamento para a doença.

Cérebro revela sinais de Alzheimer muito antes do diagnóstico

NomadSoul1/Envato
NomadSoul1/Envato

Um estudo britânico, realizado por pesquisadores da Universidade de Glasgow, revelou algo que pode ser entendido como um "spoiler" do cérebro para a doença de Alzheimer. Pessoas saudáveis, desde que tenham um fator genético para a doença, conhecido ou não, podem apresentar diferenças na estrutura cerebral e ter um resultado pior em testes de capacidade mental, de forma precoce.

Diante da descoberta, surge o grande desafio: desenvolver tecnologias que detectem estes primeiros sinais da condição neurodegenerativa, antes mesmo que o diagnóstico tradicional possa ser confirmado. Já era de conhecimento dos neurocientistas que parentes de primeiro grau apresentam uma maior probabilidade de desenvolver Alzheimer, mas a novidade reside no fato de que estes novos (e possíveis) indicativos surjam antes mesmo das manifestações mais robustas, independente de a pessoa avaliada saber se tem ou não um parente próximo com a doença.

Ainda não acabou! Leia mais sobre saúde e ciência:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos