Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.691,75
    +587,86 (+1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Ginastas japoneses lamentam prata, mas voltam seus olhos para Paris

·1 minuto de leitura
Ginastas do Japão mostram suas medalhas de prata após premiação

Por Elaine Lies

TÓQUIO (Reuters) - A equipe masculina de ginástica do Japão, todos estreantes em Olimpíada e pela primeira vez desde 2008 sem o "rei" Kohei Uchimura, perdeu para a Rússia por pouco nesta segunda-feira e, embora tenham lamentado o resultado, eles disseram que já estão com os olhos voltados para Paris 2024.

O Japão, que conquistou o ouro por equipes em 2016 no Rio de Janeiro, sempre ficou com a prata ou com o ouro por equipes desde Atenas 2004, mas havia dúvidas se uma equipe formada por estreantes conseguiria fazer frente às equipes da Rússia e da China, que vinham sedentas por vingar a derrota de 2016.

O grupo sofreu um choque extra no sábado, quando Uchimura, bicampeão olímpico no individual geral, caiu da barra horizontal, encerrando uma histórica carreira olímpica.

Daiki Hashimoto fechou a apresentação da equipe japonesa com uma excelente performance na barra horizontal, incluindo uma aterrissagem perfeita, levando seus companheiros de equipe a pularem de alegria.

Mas a alegria transformou-se em uma amarga frustração quando o russo Nikita Nagornyy, último ginasta da equipe da Rússia, se apresentou no solo e elevou a nota russa para 262,500, contra os 262,397 obtidos pelos japoneses, uma diferença de apenas 0,103.

"Estávamos indo para o ouro, mas terminamos com a prata, e temos de aceitar isso", disse Kazuma Kaya aos jornalistas.

"Perdemos por apenas 0,1 ponto, o que parece amplo. Podíamos ter ficado com o ouro, mas dependendo do destino, também podíamos ter ficado com o bronze. Temos que lembrar deste sentimento de pesar e continuar trabalhando para Paris."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos