Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.753,90
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    47.604,84
    -402,58 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -43,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1975
    +0,0127 (+0,21%)
     

Ginástica: Caio Souza termina em oitavo no salto; sul-coreano leva o ouro

·1 minuto de leitura
O brasileiro Caio Souza cai na final do salto masculino da ginástica artística nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 no Ariake Gymnastics Center, em Tóquio, no dia 2 de agosto de 2021

O ginasta brasileiro Caio Souza terminou em oitavo na prova do salto nesta segunda-feira nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, uma prova vencida pelo sul-coreano Jeahwan Shin .

Ele obteve a pontuação de 14.446 no primeiro salto, mas caiu sentado no segundo e obteve a média final de 13.683.

O sul-coreano Jeahwan Shin conquistou a medalha de ouro ao superar o russo Denis Abliazin (prata) e o armênio Artur Davtyan (bronze).

Shin, 23 anos, e Abliazin, prata na Rio-2016, alcançaram a mesma média de 14.783 nos dois saltos, mas o ouro foi para o sul-coreano, autor do melhor salto, no critério de desempate. Davtyan alcançou a nota 14.733.

Caio Souza, estreante em Olimpíadas, se mostrou satisfeito, apesar de não conseguir uma medalha. "A gente treina muito para poder estar no primeiro lugar. Só tem três lugares no pódio. Estou muito feliz com a minha participação olímpica. Encerro como finalista olímpico", disse Caio, em entrevista à rede Globo, após a prova.

"Foi uma vitória, porque na final do individual geral eu acabei machucando meu pé e acabou virando uma incógnita se eu iria competir ou não. Todo mundo compete no sacrifício. A gente sempre compete no sacrifício. Eu estou feliz com tudo o que aconteceu. Óbvio que eu queria estar no pódio, mas estou feliz com minhas primeiras Olimpíadas", acrescentou.

es-dec-gr/psr/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos