Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.905,56
    +388,09 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Gestores da América Latina estão mais otimistas com real, mostra pesquisa do Bank of America

·2 minuto de leitura
Moeda de um real retratada no Rio de Janeiro

SÃO PAULO (Reuters) - Gestores da América Latina estão mais otimistas em relação à taxa de câmbio brasileira e apostam que o real terá o melhor desempenho regional nos próximos seis meses, com uma agora maioria vendo o dólar abaixo de 5,30 reais ao fim deste ano, mostrou uma pesquisa do Bank of America nesta terça-feira.

A melhora do sentimento ocorreu depois da apreciação da taxa de câmbio nas últimas semanas. O dólar futuro caiu 9,7% entre a máxima de 13 de abril, acima de 5,76 reais, e a mínima do último dia 10 (5,2065 reais).

Em maio, o real sobe 3,5%, melhor desempenho latino-americano e o segundo do mundo, atrás apenas do florim húngaro, que ganha 4,4% no período. A queda da divisa brasileira no acumulado de 2021 --que chegou a 10,4% em 9 de março-- agora está em 1,2%.

E mais ganhos podem estar à frente. De acordo com a sondagem do BofA, 45% dos profissionais consultados esperam que o real seja a moeda de melhor performance nos próximo seis meses. O dólar norte-americano vem atrás, com pouco mais de 20%, seguido por euro, renminbi e peso mexicano.

A pesquisa mostrou ainda que 60% dos participantes projetam que o dólar ficará abaixo de 5,30 reais ao fim de 2021, o dobro da porcentagem do estudo anterior (31%). Chama atenção o aumento da fatia dos que preveem que o dólar ficará entre 4,81 reais e 5,10 reais, que saiu de menos de 10% em abril para mais de 20% em maio.

Ao mesmo tempo, os consultados abandonaram estimativas de que o dólar terminaria o ano entre 5,61 reais e 5,90 reais e entre 5,91 reais e 6,20 reais.

Um total de 33 painelistas com aproximadamente 112 bilhões de dólares em ativos sob gestão participou da pesquisa para a América Latina.

(Por José de Castro)