Mercado fechará em 5 h 32 min
  • BOVESPA

    120.131,60
    +834,47 (+0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.031,38
    +527,67 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,56
    +1,38 (+2,29%)
     
  • OURO

    1.735,20
    -12,40 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    62.967,20
    +234,21 (+0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.349,99
    -25,79 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.144,57
    +2,98 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.839,03
    +161,76 (+0,48%)
     
  • FTSE

    6.922,35
    +31,86 (+0,46%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    +82,29 (+0,28%)
     
  • NASDAQ

    13.947,25
    -28,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7921
    -0,0391 (-0,57%)
     

Gestora QR Asset recebe aval da CVM para ETF de bitcoin

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura
Bitcoin

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A gestora carioca de recursos QR Asset Management recebeu da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aval para lançar na B3 seu ETF (Exchange Traded Fund) de bitcoin, o primeiro referenciado na mais conhecida das criptomoedas.

A oferta primária dos ativos, estimada em cerca de 500 milhões de reais, será para investidores qualificados. Segundo Fernando Carvalho, presidente da QR Capital, controladora da QR Asset, os agentes financeiros para coordenar a oferta estão sendo escolhidos.

De acordo com o executivo, o ativo pode ser uma alternativa de diversificação de portfólio para fundos multimercado e tem atraído interesse de family offices e dos chamados investidores profissionais.

A expectativa é de que os ETFs sejam depois listados na bolsa paulista até junho, negociados sob o ticker QBTC11, quando poderão ser negociados por investidores de varejo. O ETF será referenciado no índice de bitcoin dos contratos futuros da Chicago Mercantile Exchange (CME).

O anúncio ocorre no momento em que diversas instituições financeiras internacionais têm feito movimentos para dar acesso a clientes às negociações com criptomoedas, que têm ganhado crescente apelo entre investidores de varejo, enquanto o bitcoin atinge sucessivas máximas históricas.

Na quarta-feira, o Morgan Stanley se tornou o primeiro grande banco dos EUA a oferecer a seus clientes de gestão de fortunas acesso a fundos bitcoin.

"Até agora, o investidor só comprava em mercados não regulados, com os ETFs o acesso vai ser mais democratizado", disse Carvalho.