Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,97
    -0,16 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.777,90
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    56.975,66
    -3.043,88 (-5,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.293,54
    -98,17 (-7,05%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.297,70
    +327,99 (+1,13%)
     
  • NIKKEI

    29.748,10
    +64,73 (+0,22%)
     
  • NASDAQ

    14.032,50
    +3,00 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6691
    -0,0170 (-0,25%)
     

Gestora Piemonte lança plataforma de negociação por blockchain

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A gestora carioca de recursos Piemonte anunciou nesta quinta-feira o lançamento de uma plataforma de negociação de ativos financeiros baseada em blockchain.

Segundo a gestora, a ferramenta permitirá aos investidores negociar cerca de 150 milhões de reais em debêntures proprietárias e cotas de fundos de investimento via blockchain pública da tecnologia ethereum.

"Num momento em que o interesse em ativos cripto tem aumentado, o Brasil não pode ficar para trás", afirmou em nota o presidente do Piemonte, Alessandro Lombardi.

A plataforma está disponível para download na Apple Store e pode ser acessada via smartphone, mas por ora o acesso à negociação será restrito aos investidores da Piemonte, podendo ser aberto a investidores em geral após regulamentação e aprovação pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

"A mudança para títulos de investimento digitais é inevitável, e vem trazendo as vantagens de maior inclusão financeira, um acesso mais amplo, uma nova base de investidores e processos de compliance e transparência aprimorados", acrescentou Lombardi.

A instituição fez em dezembro de 2019 a primeira transação com debênture emitida por ela, mas em ambiente fechado.

Emissores de dívida e investidores têm estado de olho no blockchain, uma plataforma de registros compartilhados, como meio de eliminar intermediários, cortar custos e burocracia para emissão e negociação de títulos no mercado de capitais.

A tecnologia ganhou visibilidade por ser a infraestrutura por trás do bitcoin, a mais famosa dentre as criptmoedas.